Voltar 

Cinema  em  Porto  Alegre  -  RS

              (1896  -  1960)


 

Cronologia dos Fatos

      Nesta Página, o Autor procura relacionar  os  fatos em ordem cronológica. Todas as informações relacionadas ao tema  foram obtidas de  livros, artigos de jornais ou revistas, trabalhos acadêmicos,  arquivos pessoais,  etc. 

Notas:   1)  Sempre  que  possível  o  Autor  procura  informar   a  fonte  de  onde  o  fato, notícia,  fotografia, ilustração, etc.  foi obtido. 

                2)   No texto, procura-se  manter a grafia da época para nomes ou marcas de equipamentos,  salas de cinema, etc

                3) Caso  houver  fotografia ou ilustração  que  não pode  ser  publicada, solicita-se  ao  detentor dos seus  direitos  que comunique  ao    Autor.

                4) Atualizações feitas em Set/2017

  31/Out/1896

Anúncio  no jornal   A República,     subscrito por    Francisco de  Paola  S. Xavier , informa   que adquiriu  a "última invenção do célebre Edison", aparelho  chamado  de "Scinomotograf  ou Scinomotograph"  (no anúncio)   e que pretende exibi-lo na rua dos Andradas, no.  349 (numeração da época), em frente ao ponto de bondes (ou "bonds", grafia da época).   O anúncio  cita   também  que  ele (Francisco de Paola)  está  acompanhado por   M.  J.  Davis. (21)  

Notas:  1)   Deste  anúncio, o   Autor   "deduz"   que    o nome completo  de  Francisco de Paola   era   Francisco de  Paola  S.  Xavier.  2)  Ainda no   anúncio,  Francisco  de Paola   informa que  tinha levado gratas recordações  dessa cidade  e que   esperava rever amigos.  Com base nisso,  alguns  pesquisadores (Antônio Jesus Pfeil, entre eles)   supõem  que  Francisco de Paola  já  teria    residido em Porto Alegre ou, pelo menos,  já tinha estado  na cidade anteriormente.   3)  O  Autor  da Página  "supõe"    que    M. J. Davis  era  o técnico que  veio operar  o aparelho enquanto  que  Francisco de  Paola  era apenas  o empresário. 4)   Maiores detalhes desse  aparelho (que deve ser o "Vitascope")  pode ser encontrada  na  Página  Cinema no Interior do Rio Grande do Sul.  

Comentário do Autor:  Conforme (1) ,  a partir de 07/Set/1865, a  então chamada  rua da Praia    passou a ser  denominada  oficialmente de  rua dos Andradas. Desse modo, no texto, procura-se  utilizar  unicamente a  denominação oficial (rua dos Andradas).

 

Vitascope

Ilustração do Vitascope

03/Nov/1896

O jornal  Correio do Povo  reporta    a chegada   de    equipamentos de cinematografia " trazidos de Paris"   por  Georges Renouleau. O anúncio do jornal  informa que  G. Renouleau  já teve estúdio fotográfico em Porto Alegre  em outros tempos e que  a   exibição do seu  aparelho vai ser feita  no prédio da rua dos Andradas   onde funcionava a  drogaria  Jouvin.  (21)  e  (19). 

Nota:  Maiores detalhes desse  aparelho (que deve ser o "Cinematographo Lumiére")  pode ser encontrada  na   Página  Cinema no Interior do Rio Grande do Sul.  

Cinematographo  Lumiére

04/Nov/1896  

O jornal  A Reforma  reporta  a chegada   de  Francisco de Paola, trazendo  equipamentos inventados por  Edison chamado "Shinomotographo", ou seja, que projetava   "fotografia animada". Informa ainda  que esse equipamento vai ser exibido nesta data  na rua dos Andradas,  no. 349 (no. antigo).    (21)

O mesmo  jornal    comunica   também  que recebeu a visita  de   Georges Renouleau  que  pretende   apresentar  equipamentos de fotografia animada   trazidos de Paris.    Complementa  a notícia, dizendo  que a apresentação  se dará nesta data ou no dia seguinte   no prédio da  rua dos  Andradas, no. 230 (no. antigo),  onde ficava localizada a Farmácia Jouvin.  

O jornal  A República   informa que a apresentação de fotografia animada  de Francisco de Paola  ocorrerá  na noite  desta data. (21)

05/Nov/1896

É realizada a 1a. apresentação  de filmes.   Na rua dos Andradas, no. 319 (antigo),    Francisco de Paola e Dewison apresentaram o "Scenomotographo", chamado por eles de "a última descoberta de Edison". Projetaram os filmes: 1 - O Bosque de Boulogne, 2 -A Dança Serpentina e 3 - A Chegada do Trem na Estação de Lyon  .  (7 ) e   (19).  Nota:  A  foto abaixo, de 24/Jan/1906, foi obtida do Site  www.prati.com.br

 jornal Gazeta da Tarde  informa que  iniciam nesta data as apresentações do "Scinomatographo"  de Francisco de Paola  e  S.  Dawis    às 16h e 30 min  na rua dos Andradas, no 349 (antigo). (21)  

Vista da rua dos Andradas, em frente à praça da Alfândega. Nesse local (nos prédios à esq.) foram apresentados  os primeiros filmes em Porto Alegre.

                  

 

06/Nov/1896

O jornal  A República  reporta  que  Francisco de Paola  e   Dewison   exibiram no dia  anterior   o   "Scinomatographo" na rua dos Andradas  emn frente ao ponto dos bondes. Os filmes apresentados eram: (1)  ''A Chegada de um Trem", (2)  "O  Bosque de Boulogne" e (3)   "A  Dança Serpentina".  Este ultimo filme foi o que mais  agradou ao público. (21)

Gazeta da Tarde também  traz   notícias sobre  a exibição, enaltecendo e recomendando  o espetáculo. (21).  

O Correio do Povo também destaca o espetáculo, informando que ele aconteceu na  rua dos Andradas, no. 319 (antigo), acrescentando  que  as exibições prosseguirão nos dias seguintes com sessões  entre  18h 30min e 23 horas. (21)  

   07/Nov/1896  

A Gazeta da Tarde   informa que a apresentação de fotografia animada , o  "cinematographo"    de G. Renouleau   ocorrerá  as 19 horas na rua dos Andradas , no.  230 (antigo). (21)

 O jornal  A República   reporta  que  recebeu convite de G.   Renouleau  para a exibição  de seu aparelho de fotografia animada nesta data. (21)

  08/Nov/1896

Georges  Renouleau, exibe na rua dos Andradas, no. 230 (antigo), o seu "animatographo francês", e projeta os filmes:(1)   O Carroção, (2)  Uma Criança Brincando com Cachorros e (3)  Exercício de Equitação por Militares (7).  Nota:   Segundo (19)  o nome do aparelho era "Scinematographo"  ou "animatographo modelo francês"  e as sessões se prolongaram até dia 27/Nov  no mesmo endereço.

Segundo (14), a 1a. casa a dar espetáculos de cinema com certa frequência  foi na rua dos Andradas, no. 230 (antigo) onde funcionava a Farmácia Jouvin. O novo tipo de espetáculo era chamado "Cinematographo" ou "Photographia Animada". Conforme anúncio no jornal Correio do Povo de 07/Nov, citado em (14), o preço do ingresso era 1$000 (um mil reis).

O Correio do Povo  reporta que   recebeu convite de G.   Renouleau  para a exibição  de seu aparelho de fotografia animada nesta data,  as 19 horas  na   na rua dos Andradas , no.  230  (antigo). (21)

  09/Nov/1896

O jornal   A Federação  faz   um comparativo entre as exibições  dos aparelhos  de Francisco de Paola  (aparelho norte-americano)  e  de  G. Renouleau  (aparelho francês)   e  entende que o aparelho deste último (Renouleau)   era de qualidade  superior. (21)

  10/Nov/1896

O jornal  A República  traz notícias  somente  das  exibições do Sr. Renouleau, sendo  1   mil reis  (1$000)  o preço do ingresso por pessoa. (21)   Nota:  Conforme  a mesma fonte,  dia 22 do mesmo  mês,  Francisco de Paola chegou  em  Pelotas  para fazer exibições do  seu aparelho.   

Jornal do Commércio  reporta  que os dois  espetáculos   continuam  em exibição. O preço era o mesmo (1 mil reis por pessoa) .  (21)

04/Abr/1897

A  Empresa Cassali & Bovaria com seu circo Serino apresenta o "Kinetophone de  Edison", onde um projetor era  acolado a um "phonographo"(18) . Conforme (21),  neste dia   a citada  companhia apresentou o seu "cinematographo", junto com outras atrações. 

Notas: 1)  O "Kinetoscope",  inventado por Edison, era uma máquina   para uso individual que mostrava  uma série consecutiva de fotografias, dando a sensação ao assistente  de estar vendo um filme. 2) O   "Kinetophone" era um aperfeiçoamento feito por Edison do  "Kinetoscope", contendo  um cilindro fonográfico no seu interior, possuindo ainda  fones de ouvido para  o assistente (do filme)  poder  escutar os sons.  Ver  figuras  abaixo.     

Kinetoscope 

Kinetophone

Filme que mostra como funcionava o Kinetoscope de  Edison

 

13/Jul/1897

O Jornal  do Commercio noticia  que  o ilusionista  e   prestidigitador   frances  Faure Nicolay  está  para  chegar  em   Porto Alegre,  vindo do sul do estado  e que irá  trazer  junto   um  "magnífico cinematographo"  produzido  por   Edison. (21)  e   (19)   

23/Jul/1897

 O Jornal  do Commercio   informa  que o citado  ilusionista (Faure Nicolay)  vem  à capital   incorporado à    Companhia  Ponte de  Zarzuela e que junto com o "cinematographo"   irá apresentar  pela 1a. vez  na cidade o "Diaphorama Universal".  O   Correio do Povo do mesmo dia (23) também traz  as mesmas  noticias sobre o assunto    (21).   

Notas: 1)  O aparelho trazido por Faure  Nicolay deveria ser o  "Vitascope", já referido em  31/Out/1896.   2)  O   "Diaphorama Universal" não era um projetor de filmes. Era um aparelho que projetava  fotografias ou desenhos,  geralmente  de lugares fantásticos,   em  uma   tela de grande porte. 3)  Naquela  época, a melhor maneira dos visitantes do exterior  ou do centro do país  chegarem  a Porto Alegre era através de barcos pela  Lagoa dos Patos. Por isso, eles  geralmente desembarcavam de um navio  em Rio Grande, passavam antes  por  Pelotas e depois   vinham para  Porto Alegre. Comentário do Autor: Para maiores detalhes do   "Diaphorama Universal" e de  outros equipamentos mecânicos ou eletro-mecânicos que foram utilizados em Porto Alegre  em projeção de imagens, desde meados do século XIX, recomenda-se o excelente trabalho acadêmico relacionado   na  referência (27). 

  24/Jul/1897

O ilusionista e prestidigitador Faure Nicolay, se  apresenta no Theatro São Pedro, junto a Praça da Matriz;  vindo  com a sua  Companhia  de  Zarzuela, mas o "cinematographo"  exibido  não era de boa qualidade  (18).  O  jornal  A Federação do dia  26, comentando o espetáculo, informa que o "cinematographo"  exibido não era de boa qualidade  e que  o  "Diaphorama Universal"  também não agradou. (21).

Notas: 1)  O  Teatro São Pedro foi inaugurado em  27/Jun/1858.   2)   Faure Nicolay  esteve  também   em  Curitiba, de 25 a 30 de agosto,  apresentando o seu  "Diaphorama"  e o seu '"cinematographo"  e  que nessa capital,  o espetáculo foi elogiado.   (22) 

Praça da Matriz, à esq.  o prédio do Theatro São Pedro.

  09/Abr/1898

A Companhia de Variedades do Teatro Lucinda, do Rio de Janeiro, estréia no Theatro São Pedro, apresentando  o seu  "Cinematographo  Lumiére". Nota: Jornal do Commércio de  26/Abr/1898  informa  que,  de Porto Alegre   o cinematógrafo referido seguiria  para São Leopoldo.   (18).  

O jornal   A Reforma deste dia comunica  que a Companhia de Variedades  Dramáticas  de Germano Alves  vai se apresentar  "hoje"  no  Theatro São Pedro.  O mesmo jornal  do dia 11,  informa  que o espetáculo agradou ao público e  que   o "Cinematographo Lumiére" foi muito aplaudido.  (21) . 

  12/Abr/1898

O jornal  Correio do Povo  elogia   o espetáculo  do "Cinematographo Lumiére" exibido  por   Germano Alves  no Theatro São Pedro,  porém o crítico do jornal   reclama que os  "quadros  exibidos"  são  muito reduzidos e ficam pouco tempo em exposição .  (19)  e  (21)    Nota:  O Autor  da Página   deduz    disso  que os  filmes apresentados  eram  poucos   e   que  cada um deles  era   de curta duração. 

  29/Abr/1899

Exibição do  "Motoscópio"  apresentando vários quadros   (19) .  

Notas:  1)  Não é citado o local  onde  foram feitas  as apresentações.  2)  O  "Motoscópio" deve  ser   o  aparelho  conhecido como  "Mutoscope", inventado em  1894, por  Herman Casler e depois aperfeiçoado por outros.   Era uma máquina semelhante ao "Kinetoscope" (ver figura  em  04/Abr/1897). Esses aparelhos  mostravam   uma série consecutiva de fotografias que se sucediam a uma certa velocidade , dando a sensação ao assistente  de estar vendo um  filme. 3) Maiores detalhes do funcionamento  desse aparelho, ver  (27).

Ilustração do  Mutoscope

Modelo de Mutoscope - 1898

Modelo de Mutoscope - Ano ?

  1898

É  inaugurado o Theatro  Polytheama na esquina das  ruas  Voluntários da Pátria e  Pinto Bandeira. (17) .   Notas: 1)   Segundo (26), este teatro foi inaugurado em 1900.  2)   No mesmo local, em 1910,   passou a funcionar   o cinema  Coliseu (o antigo). Ver 17/Dez/1910. (17)  

  1901

O "cinematographo" (que  deve ser o de Germano Alves)   é   apresentado novamente durante a Exposição do Parque da Redenção. 

Neste ano apareceram outros  aparelhos que projetavam "vistas animadas" no Theatro São Pedro, Theatro Polytheama, no Café Guarany, etc.  (17)

  24/Fev/1901

São projetados  os   documentários realizados por  Enrique Sastre. Os títulos  eram: Estado de Santa Catarina  e  A Estada do Presidente Campos Salles em Buenos Aires.  (18) .  Notas: 1)  Não é citado o   local  onde  foram feitas  as apresentações.   2)    Para maiores detalhes destes 2 filmes  ver   Site    www.cinemateca.gov.br . 3)  Segundo este  Site  o  filme de Santa Catarina também  se chamava  "Vistas de Itajaí, Brusque e Arredores".   

  26/Fev/1901

Correio do Povo    anuncia a estréia  de um  "cinematographo"   no Theatro São Pedro, com exibições diárias, ao preço de 1$000 por pessoa. Nas galerias o preço era 500 rs (500 reis).   Notas:  1)  As exibições de filmes  neste teatro foram realizadas até 1909 e sofreram protestos por parte de alguns redatores de jornais .  (14).     

   09/Abr/1901

Exibição do  "Cinematographo  Lumiére" do Sr. Sastre  no Theatro Polytheama  20  de Setembro. (19)

   29/Jun/1901

Exibição do  "Cinematographo Grand Prix "  no Theatro São Pedro quando foram apresentados   vários filmes. (19)

   17/Mar/1903

Estreia do  "Grande Internacional Biographo" ou    "cinematographo aperfeiçoado"   por   José  Barrucci    no Theatro  Parque. (19).   Nota: Este  aparelho deveria ser  o "Biograph", um projetor de  filmes inventado por Herman Casler em 1896 e que  utilizava filmes de 60/70 mm (de largura). 3) Maiores detalhes do funcionamento  desse aparelho, ver  (27).

   31/Mar/1903

Estreia  do  "Biographo"  pelo  Sr. Barrucci    no Theatro São Pedro. (19)

  01/Jan/1904

Apresentação  do "Cinematógrapho O  Admirável" de  . Antônio Mecking     no Theatro São Pedro. (19)

  10/Jan/1904

Estreia no Theatro  Parque  o "The Anglo-American Biographo", apresentando "vistas" (filmes) de 500 a 1000 metros de extensão. (19)

  17/Jan/1904

O  "The Anglo-American Biographo", apresenta  no Theatro  Parque  uma cena dramática em 8 quadros intitulado  "A Vida de um Jogador" .  Nota:     A apresentação do  citado   aparelho nesse teatro  ainda aparece nas páginas do  Jornal do Commercio  dos dias   2, 11 e 16 de fevereiro e  do dia 24 de abril . (19)

Apresentação  do "Cinematographo O Admirável" na  rua dos Andradas,  no. 311(antigo). Nota:     A apresentação do  citado   aparelho também é citada  nas páginas do  Jornal do Commercio  dos dias   25  de fevereiro e  4 de março.  (19)

  06/Ago/1904

O Jornal do Commercio  anuncia que o "Bioscópio Inglez"  de  José  Filippi  apresentou o quadro  A Paixão de Christo .  Na edição do  dia  09/Ago,   o citado jornal volta a mencionar  o citado  espetáculo (19). 

Notas:  1)  Em ambos os casos  não é citado o local  onde  foram feitas  as apresentações desse aparelho. 2)  Este aparelho projetor deveria ser  o "Bioscope Urban".   3)  Maiores detalhes  desse   aparelho ("Bioscope")  do qual   havia 3  tipos,  pode ser encontrada  na   Página  Cinema no Interior do Rio Grande do Sul.  . 4) Maiores detalhes do funcionamento  desse aparelho, ver  (27).

Bioscope  Urban

  14/Ago/1904

O  "Bioscópio Inglez"    de José Filippi   começa  a exibir filmes no Theatro São Pedro. São apresentadas "vistas  animadas", ou seja, filmes   feitas em solo rio-grandense.  O Jornal do Commercio   dos dias  14, 17 e 20 de agosto   traz   mais  noticias  dessas apresentações.    (19)

O "Cinematographo Grand Prix"  começa a ser apresentado no Circo Americano. (19)   Nota: Não é citado o endereço onde  este circo foi montado.

  01/Set/1904

O Jornal do Commercio  anuncia que o "Bioscópio Inglêz"   de    José Filippi dará mais uma função no Theatro São Pedro, apresentando novas e magnificas vistas.  O mesmo jornal em edição do dia   21    trata do mesmo tema. (17)

22/Set/1904

Jornal do Commercio anuncia que o "Bioscópio"  de  José  Filippi passa a ser apresentado no Theatro Polytheama. Entre as "vistas" apresentadas estava   "Vistas Animadas do Povo que Assistia a Festa das Dores".   Notas:  1)   Segundo o Site   www.cinemateca.gov.br  o  filme se chamava  "Retirada do Povo que  Assistiu a Festa das Dores".  2)    Sobre as filmagens realizadas em solo rio-grandense,  ver  Página  Filmografia (Até 1960).  

20/Set/1904

Os irmãos Filippi realizam em Porto Alegre um  filme chamado "A Defeza da Bandeira Nacional". (18)  Nota:  Segundo o Site   www.cinemateca.gov.br  este   filme  se encontra desaparecido.

   13/Jan/1905

Exibição do  "Cinematographo The Cosmopolitan"    no Theatro Polytheama  20  de Setembro. (19)

29/Ago/1905

Correio do Povo anuncia que será apresentado no Theatro  Parque um "cinematographo fallante".  Projetava-se "vistas animadas" (filmes) ao mesmo tempo em que um fonógrafo produzia sons. Este teatro ficava próximo da Escola de Engenharia e do  Parque da Redenção.  (17)

   14/Jan/1906

Exibição do  "Cinematographo Universal"    no  Theatro  Parque. (19)

   15/Abr/1906

Exibição do  "Cinematographo Franco-Americano"    no  Theatro  Parque (19).  

   21/Jun/1906

Estréia do "cinematographo fallante"  no Theatro São Pedro. (19)

   27/Mar/1907

Anuncia-se no Jornal do Commercio a chegada em Porto Alegre da empresa cinematográfica do Sr. Henrique During.  As apresentações foram  no Theatro Polytheama  20  de Setembro. O projetor era da marca Gaumont. Na edição de 14/Abr, o mesmo jornal  volta a   tratar do assunto.  (19) 

   27/Mai/1907

Anuncia-se no Jornal do Commercio a estreia   do "Cinematographo Grand Prix", da empresa Bartelô,   no Theatro  Polytheama.   Em 06/Jun   o mesmo jornal volta a tratar do assunto.  (19)

   10/Ago/1907

Jornal do Commercio relata  que estão suspensas  as sessões  no  Theatro  Polytheama  por estar  o prédio com sérios problemas de segurança.  (19)

  06/Out/1907

O Correio do Povo anuncia que a Empresa Guidot fará  exibições do seu cinematógrafo no Salão da Bailante. (17) . Notas:  1) Este salão ficava nas proximidades do Theatro  São Pedro, junto à   Praça da Matriz. 2)  Na foto abaixo, o Salão da Bailante  é o predio bem à esquerda.

26/Out/1907

Apresentação do "Cinematographo Grand Prix", no Theatro São Pedro, em duas sessões, sendo  uma delas para crianças.

  24/Nov/1907

Jornal do Commercio reporta   que a Empresa  E.  Degani exibirá o seu "Cinematographo Parisiense", na praça de touros existente na rua  da República (antiga rua do Imperador,  até 1889) . (19).   O Correio do Povo  de  26/Nov  trata do mesmo assunto  (17).   

Correio do Povo   informa      que no Theatro São Pedro haveria exibição do "Bioscópio Sul-Americano"    da Empresa Baron, de propriedade do senhor Ratoni & Cia .   (17).   Nota:   Esse assunto foi objeto de noticia no  Jornal do Commercio na edição de 28/Nov. (19)

  24/Dez/1907

É apresentado no Theatro São Pedro o "Cinematographo  Liliograph Ronzet" da empresa Collin.  (19). Nota:  Não foi encontrado na Internet   nenhum documento ou imagem desse aparelho.  

  11/Jan/1908

Estreia  no Recreio Independência    o "Cinematographo  Pathé" da empresa Chatain.  (19).  

Nota:  Pelo que se deduz  de material encontrado na Internet, a empresa dos Irmãos Pathé,  introduziu modificações nos  aparelhos cinematográficos (câmera e projetor)  de Lumiére e passou a fabricá-los.  Ver abaixo um modelo de  "Cinematographo   Pathe",  aparelho projetor que foi comercializado em  1908. Pelo que se  denota da figura,  o aparelho era ainda operado manualmente através de uma alavanca.

Cinematographo   Pathé - 1908

  18/Jan/1908

É apresentado no Theatro São Pedro o "Cinematographo  Pathe" da empresa Guidot.  (19)

  Fev/1908

O carnaval deste ano é filmado pelo fotógrafo Jacinto Ferrari, destacando a Sociedade Carnavalesca Esmeralda, sendo que  os filmes foram apresentados  no Theatro São Pedro com bastante sucesso.

  15/Fev/1908

Estreia  no Theatro São Pedro o "Cinematographo  Moderno" da empresa Maciel Coca.  (19)

  21/Mar/1908

"Cinematographo  Moderno" apresenta vistas fixas e   animadas da sociedade carnavalesca Esmeralda   (19). 

20/Mai/1908. 

O  cinema Recreio Ideal (rua dos Andradas,  no. 321, em frente a Praça da Alfândega)  apresenta  sua 1a. sessão,  dedicada à imprensa da capital. Esta foi   a 1a. sala fixa   de cinema  da cidade e   era de propriedade de José Tours, representante de uma fabrica espanhola de aparelhos cinematográficos. Os filmes apresentados foram:  (1) Chegada de Elliu Root ao Rio de Janeiro, (2) Trechos do Rio de Janeiro, (3)  Funerais do Rei Dom Carlos e do Principe Real Dom Luis Felipe.   A partir do dia 21  este cinema passou a apresentar  sessões à  tarde (matines) para o público. Depois a Empresa Bartelô, assumiu a sua direção (17).  

 Notas:  1)  A notícia  sobre  a apresentação do dia 20  saiu no Correio do Povo do dia  21. Ver texto abaixo. Nessa notícia,  o jornal informa que o proprietário é o Sr. Tous (sic).     2)   Conforme   (19)  o Recreio Ideal   pertencia  a empresa Bartelô. 3)   Segundo (18) , em 30/Jul/1908, o cinema passou a ser propriedade de Eduardo Hirtz e Cia.  4)  Conforme o Correio do Povo, de  28/05/1909,  o Recreio Ideal   havia  passado a funcionar na  rua dos Andradas, no. 309, desde 27/05/1909.  5)   De acordo com  (19) e (20), em 1917, essa sala   passou a ser chamada  de Carlos Gomes.  6)  Segundo (14),  no local  do   Recreio Ideal   passou a funcionar depois o  cinema Carlos Gomes  e  mais tarde o   cinema  Imperial.    (7)  Segundo (26):  a) Esta sala de cinema  iniciou   na  R. dos  Andradas, no. 321 (antigo) e depois se mudou para o no. 313-315 (antigo). Este endereço corresponde  hoje ao  no. 1077. b)  O cinema possuía 135 lugares  e fechou alguns meses depois;  reabrindo em Fev/1911 no mesmo local,   já  com outro proprietário (Hirtz e Cia.).  8)  A foto  mais  abaixo (de 1914)  foi cedida por R. Marcos  Bastos (32).  Nota-se  da  foto que  o prédio  do  cinema  Guarany   já  estava  concluído e o cinema  funcionando. 

" ARTES E ARTISTAS  (Texto do Correio do Povo, grafia da época)

Recreio Ideal – Como noticiamos, realisou-se hontem, a funcção que o senhor Tous, proprietário do Recreio Ideal, dedicára á imprensa. O salão está muito bem preparado e tem grande número de cadeiras. O apparelho cinematographico é, sem dúvida, o melhor que, até agora, veiu a esta capital, não se notando nas projecções a minima trepidação.
Todas as fitas exhibidas agradaram, immensamente, sobretudo as que reproduziam a chegada de Elihu Root, ao Rio de Janeiro, diversos lindos trechos dessa capital e os funerais del-rei d.Carlos e do principe real d.Luiz Felippe.
Hoje, o público poderá gosar das diversões do Recreio Ideal, que funcciona á rua dos Andradas n. 321."

 

 Local do cinema Recreio Ideal, ao lado do prédio do Guarany

Detalhe mostrando  o nome do cinema  Recreio Ideal

Detalhe mostrando  o nome do cinema  Guarany           

 

16/Jun/1908

O Correio do Povo noticia a abertura do cinema Recreio Familiar, na rua dos Andradas,  no. 327 (antigo).  

Notas: (1)  Segundo (17), ainda em 1908, esse cinema  mudou-se para a R. Voluntários da Pátria (antigo Caminho Novo),  no. 208.    (2)   Segundo (26) : a)  A rua  dos Andradas no. 327  corresponde hoje ao  no. 1097.  b)  O cinema  fechou algum tempo depois  e reabriu em 1911,  na Voluntários da Pátria,  no. 98.  (3)  Conforme (1),  o  Caminho Novo  passou-se a chamar-se  R. Voluntários da Pátria em  1870.

  05/Set/1908

É   inaugurado  o  cinema  Recreio Familiar,  da  empresa Filizio,   na R. Voluntários da Pátria,   no. 98.  (19)

  06/Out/1908

Exibição do "Cinematographo Brazileiro", da empresa  Germá  no Theatro São Pedro. (19)

17/Out/1908

Passa a funcionar o cinema Recreio Moderno, na rua Demétrio Ribeiro, no. 267, no prédio onde funcionava o Café Aliança. (17)  .   Nota:  Segundo (26)  esta sala de cinema foi inaugurada em 17/Nov/1908  e que esse no. (267)  corresponde hoje ao no. 1151.    

  18/Out/1908

Exibição do "Cinematographo Rio Branco", na rua dos Andradas,  no. 477 (antigo).  (19).  Nota:  Segundo (26)  este no. (477)  corresponde hoje ao no. 1449.    

  08/Nov/1908

Estreia  do "Cinematographo  Berlim", na rua dos Andradas,  no.  305 (antigo)  (19) . Nota:  Segundo (26)  este no. (305)  corresponde hoje ao no. 1041.     

  26/Nov/1908

Inauguração do cinema Variedades, em sessão fechada para experiência, da empresa Lumiere, na rua dos Andradas,   no. 343 (antigo). (19).   Nota:  Segundo (26):  a)    este no. (343)  corresponde hoje ao no. 1152.  b)   este sala de cinema deixou de funcionar em 1913.  

1909

No inicio deste ano, apenas o cinema Recreio Ideal permanecia em atividade, os demais haviam fechado suas portas. (17)

Hirtz e Cia. realiza o documentário "Procissão de Corpus Christi".  (18) . Nota:  A ficha deste filme  pode ser vista em www.cinemateca.gov.br

  02/Mar/1909 

Entra em operação o cinema  Smart  Salão   na  rua dos Andradas

Foto da rua dos Andradas (de 1925)  mostrando o ponto (SS)   em  que  (1909) se  localizava o Smart Salão 

Notas: 1)   Correio do Povo  de  06/Mar/1909  traz notícias  da   inauguração dessa sala de cinema. 2)  De acordo com Celso Schmitz  (25),  pesquisando  jornais  da  época,  o   Smart  Salão   ficava  na   rua  dos Andradas,  no. 327 (antigo), no prédio do  Grande  Hotel,  antigo  Hotel  Brasil,  que ficava  defronte à  Pça.  da Alfândega.   3)   Segundo Correio do Povo (19/Ago/2009):   a)  o  Hotel Brasil    mudou de nome para  Grande Hotel  em 1908; b) outro prédio que  também se chamava    Grande Hotel,  este de aspecto majestoso, localizado  na  esquina  R.  dos Andradas  com a   R. Paissandu,   foi    concluído em  1924.   4)  De acordo com  (1)  a  R.  Paissandu  teve seu nome alterado  para  R  Caldas Júnior em  Dez/1944.  5)  As fotos abaixo que  foram cedidas  por  R. Marcos Bastos (32)  mostram  a localização desta sala de  cinema,  incluindo-se  sua placa. 

                                                          

                                                            Localização do cinema  Smart Salão   

 Detalhe da foto, mostrando a placa  com o nome do cinema

 

  27/Mar/1909

Estréia    no cinema   Recreio Ideal   o filme de curta metragem (duração de 4 min ?), um drama  chamado   Ranchinho de Palha, (diretor Eduardo Hirtz).  

Notas:  1)   Segundo (13) este foi o 1o. filme gaúcho de ficção. É baseado em um conto do escritor rio-grandense  Lobo da Costa.  2)  Segundo (15)  os atores  foram:   Carlos de Araújo Cavaco e sua esposa  Alcides Luppi, um tal de  Machado e   Ernesto  Weyrauch. 3)   Segundo (18) o filme se chamava   Ranchinho do Sertão e foi o 1o.  filme rio-grandense  a abordar o homem do campo    4)  A ficha deste filme  se  encontra  no Site   www.cinemateca.gov.br ;  conforme mesmo Site  o filme   se encontra desaparecido.   

  1910

Hirtz & Cia. realiza o documentário "Combate Simulado do Tiro em Canoas". (18) Nota:   Segundo o Site   www.cinemateca.gov.br  o  titulo do filme era   "Combate Simulado do Tiro Brasileiro em Canoas, Rio Grande do Sul"

  06/Jan/1910

Inauguração do cinema Odeon  na  rua dos Andradas, nos.   447-449 (antigo), de propriedade de A  Lewis e Cia.).   A sala possuía 170 poltronas (1a. classe) e 100 cadeiras de palha (2a. classe). Os filmes apresentados nessa sessão inaugural foram: Fucino, A Vingança de um Taverneiro, Guilherme Rattcliff e Os Óculos da Bruxa. (17).  Nota:  Segundo (26)  este nos. (447-449)  correspondem hoje aos nos. 1383-1389.    

  17/Dez/1910

Inauguração do cinema  Coliseu (o antigo), na  rua Voluntários da Pátria esq. R. Pinto Bandeira, no local onde atualmente fica o Ed. Coliseu, defronte à Praça Osvaldo Cruz.

Notas: 1)  Segundo (14),   o cinema   Coliseu   passou a  funcionar  no lugar do antigo teatro Polytheama  Porto-Alegrense.  2)  A foto abaixo  foi  cedida por  R. Marcos Bastos.  (32).   3)  O  filme anunciado  ("Nas Garras de Griffard")  é  uma  produção  do cinema  italiano de 1913.

 Cine-Teatro Coliseu (o antigo) 

1911

É produzido o filme policial  " A  Tragédia da Rua dos Andradas" (produtor Eduardo Hirtz),  pela produtora Empresa do Cinema Recreio-Ideal. Tinha a duração de  17 min.  (13).   Segundo (18) este filme foi realizado  por Guido Panello. Nota:   A ficha deste filme  se  encontra  no Site   www.cinemateca.gov.br ;  conforme este  Site  o filme   se encontra desaparecido.

Neste ano, Guido Panello realiza o documentário "Propaganda Riograndense". Nota:  Conforme  Site   www.cinemateca.gov.br  este  filme também era chamado  de  "Propaganda do Rio Grande"  e  se encontra desaparecido.

Passa a funcionar  o cinema   Parisiense  Salão, na rua dos Andradas, no. 393 (antigo) .  (26)

Passa a funcionar  o cinema  Familiar,  na rua da Azenha,  no. 89, no bairro Azenha. (26)

15/Set/1911 

Estreia no cinema Coliseu (o antigo)  o filme  A "Tragédia da Rua dos Andradas". (41)

1912

Hirtz & Cia realizam os seguintes  documentários: (1) A Chegada do Senador Pinheiro Machado, (2) Jardim Zoológico do Coronel Ganzo, (3)   Companhia Telephonica Riograndense e (4)  Sociedade Recreio Juvenil. Nota: 1)  Somente este último filme pode ser  recuperado por pesquisadores. (18)  Notas:  1)  Todos os filmes estão catalogados  no Site   www.cinemateca.gov.br 2)  Segundo este Site o título do  último filme era  " Passeio da  Sociedade Recreio Juvenil". 

Hirtz e Cia. passa a produzir , com a participação do cinegrafista carioca Emilio Guimarães, o noticiario cinematográfico Recreio-Ideal-Jornal, com notícias da capital e interior. Esse noticiário é projetado as sextas-feiras no cinema Recreio Ideal. Ao todo foram feitas 21 edições desse noticiário. (18)

Passa  a operar o cinema Democrata,  no bairro Navegantes-São João.  (31). Notas:  Segundo (26)  essa sala de cinema  ficava na Av.  São Pedro e seu proprietário era  André Damasceno Ferreira. 2)  Segundo (25)  esse cinema ficava na esquina da  Av. São Pedro com a Av.  Eduardo (atual Pres. Roosevelt) no ponto onde hoje fica a agência do Banrisul e que a partir de  21/Mar/1914 a sua programação começou a aparecer nos jornais.

Passa a funcionar  o cinema  Nollet  , na  R. João Alfredo, no. 178,   prox. da R. Luiz Afonso, bairro Cidade Baixa  e  seu proprietário era  André Damasceno Ferreira.   (26)

10/Out/1912

Passa  a operar o cinema Força e Luz,  no bairro Navegantes-São João,   na esquina da  Av. São Pedro com a Av.  Eduardo (atual Pres. Roosevelt) no ponto onde hoje fica a agência do Banrisul.  (25).   Notas:  1)  Conforme ainda    (25),  a fonte (23)  informa  que este cinema foi destruído por um incêndio em 1º/Fev/1917. 2)   Segundo (26)  essa sala de cinema  ficava na Av.  Eduardo (atual Pres. Roosevelt)  em um ponto não indicado;  seu proprietário era  André Damasceno Ferreira e que, depois, neste local, passou a funcionar o cinema Thalia.

19/Nov/1912

 Passa  a  operar o cinema Cosmopolita,   na Av.  Germânia, no. ???,  bairro Navegantes.  (26) . Notas: 1)  De acordo  com (25), a  antiga  Av. Germânia é a atual R. Cairu e o cinema ficava localizado na esquina das atuais  ruas Cairu e Rio Grande.  2)  Segundo (1),   o nome foi trocado  de Germânia para Cairu em  04/Fev/1942,  depois do  barco mercante  brasileiro Cairu ter  sido  afundado por submarinos alemães, durante a II Guerra Mundial.  3)  Segundo (31) , esse cinema passou a operar em  1911.

09/Dez/1912

 Passa  a  operar o cinema Avenida,   na R. Gen.  Câmara (antiga rua da  Ladeira), no meio da quadra entre a rua dos Andradas  e a R. Sete de Setembro (antiga rua da Alfândega). O cinema ficava  ao lado da  Confeitaria Colombo.  Possuía 2000 (?)  lugares e seu proprietário era  André Damasceno Ferreira.  Funcionou  até  1916.  (26)

  1913

Surgem  os primeiros   cine-teatros que eram prédios e salas mais requintadas, com camarotes, balcões ou galerias, cadeiras no térreo, etc  . O 1o. foi o GuaranyNota: Neste ano  os   teatros existentes em   Porto Alegre estavam deficientes: o São Pedro e  o Eldorado (endereço ?) estavam em situação precária e  o   América (endereço ?) era   um barracão de madeira.  

 Passa a funcionar  o cinema  Brazil (sic),  provavelmente  no mesmo endereço do cinema  Nollet; ou seja;  houve apenas uma alteração  de nome . Ver 1912.  (26)

16/Abr/1913

Passa a funcionar o cinema  Iris  na rua dos Andradas,  no. 230. (19)

Notas:  1)  Segundo (26) esta sala de cinema ficava no mesmo ponto  do cinema Royal, inaugurado em 1910 e o local ficava próximo da  rua do Comércio.   2)   A  rua  do Comércio  passou a se  chamar  rua Uruguai em 1916, em homenagem ao país vizinho. (1)

  29/Nov/1913

É inaugurado o cinema   Guarany, na rua dos Andradas  em  frente  à  Praça da Alfândega,  em um prédio  projetado pelo arquiteto alemão Theo Wiederspan.  Segundo (26), o cinema Guarany   ficava localizado na rua dos Andradas, no. 305 (atual  Andradas, no. 1409).

Notas: 1) A foto   abaixo  mostra à esq. o belíssimo prédio do cinema Guarany;   o prédio ao lado (com tolda)  é o da   Farmácia Carvalho.  2)  Segundo (24): a)   na ocasião da inauguração, a sala  de cinema possuía 958 lugares;  essa sala  sofreu reformas em  1938 e nos anos 1940 trocou de  nome para Cine Rio.Voltou a ser chamada de Guarani (com "i" no final) em  1955.  b)  Esta sala de  cinema   fechou em   Fev/1975 . b)  O  prédio do cinema foi vendido nos anos 1980  para  o Banco Safra que manteve a fachada, restaurando-a, obedecendo à   arquitetura original.  c)  Uma nova  sala de cinema  chamada   Guarani  passou  a  funcionar  em 1987  no  mezanino do cinema   Imperial,  mas  essa nova sala (Guarani)   fechou definitivamente  as portas em 2005. 3)   Maiores detalhes construtivos dessa sala de cinema,  podem ser encontradas nas  referências (24) e (26) 

Prédios do Cinema Guarany (mais alto) e da  Farmácia Carvalho

 1914 

Emilio Guimarães é responsável pela  produção  dos seguintes  filmes: (1) A Culpa do Pae; (2)  Vistas de Passo Fundo (operado por Jean Luconi) e (3) Os Fanáticos de Taguarussu.   (18) .   Notas:  1)   Todos esses filmes possuem fichas   no Site  www.cinemateca.gov.br.   2)   Segundo este  Site  o último filme  também era chamado de  "Na Região dos Fanáticos"  ou  " As Forças Expedicionárias do Sul".  3)  Conforme Site mencionado, todos os 3  filmes  se encontram  desaparecidos.

Passa a funcionar a sala de  cinema Ponto Chic,  na Av. Eduardo (atual  Pres. Roosevelt), no.  ???. (26).   Nota:  Segundo (31),  o  Ponto Chic   passou a funcionar  em 1915.

  23/Mar/1914

É   lançado no cinema Iris  o filme de Francisco dos Santos " O Crime dos Banhados". Permaneceu 4 dias em cartaz, seguindo depois para outras cidades do interior. (18)

  01/Abr/1914

Inauguração do Theatro  Apollo, na Av. Independência, no. 18, junto à Praça  Dom Feliciano. Era de   propriedade de Januario Greco e Eduardo Hirtz. Tinha  1554 lugares na primeira classe e  450 na segunda classe.

Notas:  1)  Segundo (18), este cinema foi o primeiro a funcionar  com  um projetor  produzido  em  Porto Alegre.  Feito pela firma Hirtz & Rehn;  o  projetor   recebeu o nome de  Brasil.  2)   A foto  abaixo  da dir.  foi cedida por A. Paulo Ribeiro.

Cine Apollo  

   Interior do Cine Apollo  

Posteriormente    o   Apollo  sofreu uma  reforma  e  teve  a   sua   fachada alterada (ver abaixo). Notas: 1)  A  foto abaixo, da década de 1940,  foi obtida do Site  www.prati.com.br. 2) A  foto mais embaixo, da dir.,  foi publicada no jornal Zero Hora de 24/Mar/1997 e  anuncia o filme  "Gavião do Mar",  de 1940).

 

Cine Apollo (foto da década de 1940)

 

 

 

 

Cine Apollo (o filme Rei dos Reis e O Caçula  são de 1927)  

Cine Apollo (o filme Gavião do Mar é de 1940) (publicada no jornal Zero hora)  

 

  24/Jun/1914

Inauguração do cinema Colombo, na Av. Cristóvão Colombo,  no. 1370, bairro Floresta. Inicialmente era um prédio de madeira  de propriedade da  firma Schilling & van der Halen. Ver Out/1929.  Nota:    Segundo (26),   esse  cinema ficava localizado  nessa rua (então chamada  de Christovam Colombo),  mas  no no. 1386

  08/Dez/1914

Inauguração do cinema Garibaldi,  na  rua Venâncio Aires,  no. 77, bairro Cidade Baixa.  Segundo anúncio publicado  em  (32), o cinema  ficava  no no. 21 dessa mesma rua

Notas:  1)   Nos anos 60  essa sala de cinema passou por   uma reforma  e  o cinema mudou de nome, passando a ser chamado  ABC, tendo  sido reinaugurado   em   01/Jan/1969 com o filme  O Brinquedo  Louco.  Esta sala de cinema  fechou definitivamente  suas portas em 10/Jul/1994.  2)  Segundo (24), a lotação original do cinema em 1914 era de  1054 lugares  e  quando do fechamento (1994), tinha  479 lugares. 3)  A foto abaixo foi publicada  no exemplar no. 09 (15/Dez/1927) da revista "A Tela", existente no  Museu de Comunicação Social (Hipólito José da  Costa).  4)  Segundo (26),  o  Garibaldi  iniciou suas operações  em 1913.

   1915

É  inaugurado o cinema  Coliseu (rua  Voluntários da Pátria esq. Pinto Bandeira)  defronte  à  Praça Osvaldo Cruz. Esse majestoso  prédio   que possuía 3000 lugares  foi  demolido nos anos 50.  Nota:  A foto  abaixo  da esq. foi tirada do jornal Zero Hora de 14/Set/2000  e  a   da dir.  foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da  Costa) . A foto mais de baixo é um detalhe de uma foto maior conseguida na  Internet.

 

Cine  Coliseu 

          Interior  do Cine   Coliseu  

(Bico de pena de  Vicente Correa)                                      

 

Foto da  praça Osvaldo Cruz, na  esquina das ruas Voluntários da Patria e Pinto Bandeira.

À esq. da foto está o prédio do cinema Coliseu (foto dos anos 1930).

   30/Nov/ 1915

Passa  a operar o cinema Helios,  no bairro Navegantes-São João, no mesmo lugar onde ficava o cinema  Força e Luz.  Ver  10/Nov/1912.  (25)  .    Nota:  Segundo (31),  o cinema Helios foi inaugurado em 1916,  no bairro Navegantes-São João, mas não indica  o endereço. 

1916

É inaugurado  o cinema Royal,  no bairro Partenon,   em endereço desconhecido.  (31)

1917

É realizado o filme "III Exposição Agropecuaria de Porto Alegre" (por Eduardo Hirtz). (18)  Nota:  Conforme  Site   www.cinemateca.gov.br  este  filme    se encontra desaparecido.

Entra em funcionamento o cinema Centro Católico,  em endereço  desconhecido. (20)

Passa  a operar o cinema  Maravalha,  no bairro Tristeza, em endereço desconhecido.  (31)

1918

Passa  a operar o cinema  1º  de Maio,  no bairro Navegantes-São João, em endereço desconhecido.  (31)

É realizado o filme "A Virgem do Mar".  (18)  .   Nota:  Conforme  Site   www.cinemateca.gov.br  este  filme    se encontra desaparecido.

30/Jun/1918

Passa  a operar o cinema Vênus,  no bairro Navegantes-São João, no mesmo lugar onde ficava o cinema  Helios.  Ver  30/Nov/1915.  (25) .     

1919

São realizados os filmes "Um Filme de Porto Alegre" e "Fabrica de Conservas Marca Tigre", ambos por  Laffayete Cunha. (18) .  Nota:  Conforme  fichas dos filmes no  Site   www.cinemateca.gov.br ,  estes  2  filmes    se encontram  desaparecidos.  2)   Conforme ficha do filme as conservas marca  "Tigre"   ficavam localizadas em Novo Hamburgo.

O cinema   Thalia  passa a funcionar  na Av. Eduardo (atual  rua Pres. Roosevelt,  no.1362), no bairro São João.    Esta sala de cinema era (ou foi depois)  de propriedade de  Eduardo Hirtz.

Notas:  1)  Segundo (20)  essa sala   ficava no mesmo local onde funcionou  o cinema Ponto Chic.   2)   Segundo (31),  o Cine Theatro Thalia  foi inaugurado em 1917.  3) A foto abaixo (de 1932)  que mostra o prédio do cinema  foi obtida no Site  www.prati.com.br.

 

11/Dez/1920 

Inauguração do cinema  Palais (depois mudou de nome  para  Palácio)  na  rua Cel. Genuíno, no. 206, bairro Cidade Baixa.

Notas: 1)  Segundo  mostra a foto  abaixo da esq., essa sala de cinema pertencia a  Emilo B. Adam que depois foi  proprietário do Cine Baltimore.  Ver  03/Set/1931.    2)  Neste local, mais tarde, o prédio sofreria uma reforma, passando em 1947  a   funcionar  o cinema Marabá. Ver 19/Mar/1947 3)  A foto abaixo da esq.  foi obtida  no  Museu de Comunicação Social (Hipólito José da  Costa)  e  a  foto da dir.   foi publicada  no exemplar no. 14 (29/Fev/1928) da revista "A Tela", existente no  mesmo museu.

  05/Mar/1921

Inauguração do cinema Central (na  Praça da Alfândega, Centro)  de propriedade dos Irmãos Sirângelo. Este cinema apresentava também sessões à tarde. Funcionava no mesmo  local do antigo cinema Variedades. Ver 1909.  

Nota:   1)  As fotos abaixo, de 1925,  foram  obtidas   do jornal Zero Hora, edição  de 11/Jun/2002, mostram  a  rua dos Andradas de dois ângulos diferentes. 2) O prédio claro da foto da esq.  (lado da praça) é do cinema Central.

                  

 

Nota:  As fotos abaixo mostram três vistas do Cine Central.  Na foto da esq., o filme anunciado na faixa é  "Ella Quer Um Millionário" (sic), produção de 1932;  a  foto do centro é de 1972 e  foi publicada em  Zero Hora de  21/Abr/1996 e a  foto da  dir.  foi cedida  por  A. Paulo  Ribeiro. 

 

   22/Out/1921

Inauguração do cinema Recreio, na   esquina das ruas Nunes Machado  e  Barão do Triunfo, no  bairro  Menino Deus.  (20)   

   01/Ago/1922

Inauguração do cinema  República, na  rua Sete  de Setembro, no. ?,    centro da cidade.  (20) .   Nota:  Conforme  (25)  ,  esse  cinema teve uma sessão inaugural  em  31/Jul/1922, (2a. feira),  destinada  a autoridades, imprensa  e pessoas convidadas  e  ficava localizado   na  rua dos Andradas, no. 12 (antigo), defronte ao  Quartel General. 

  1923

Produzido o documentário em longa metragem "A Revolução do Rio Grande" (ou A Revolução de 23) pelo diretor Benjamin Camozato para a empresa Zenith Film.  Nota:  Segundo  Site   www.cinemateca.gov.br  há 2 filmes com titulo parecido: a)   "Revolução do Rio Grande"  cujo operador era  Paulino Botelho, filme que se encontra desaparecido e  b)    "Revolução no Rio Grande" cujo operador era Benjamin Camozato (também produtor e diretor).  Este filme  também era chamado de "Revolução de 23" ou  "Revolução no Rio Grande do Sul".

Produzido o filme "O Carnaval Cantado" (ou  Viva o Carnaval) pelo diretor Carlos Comelli, uma comédia, pela Pátria Film. O lançamento do fime foi no cinema Central em 22/Mar.   (41)

Produzido o filme "No Pampa Ensanguentado"   (diretor Carlos Comelli), um documentário, pela Pátria Film. (41)

Entra em operação  o cinema América   na  rua   Venâncio Aires, no.  ?  ,  bairro Cidade Baixa.   (20) .    Nota:   Segundo (25),  no jornal Correio do Povo de 15/Mar/1924 (pag. 5),  o citado periódico informa que  o cinema América era  um cinema "chic" (sic), frequentado pela elite  e se localizava  na Av. Redempção com   Venancio Ayres (sic).

Entra em operação  o cinema Avenida   na esquina da  Av. Redenção (atual  Av. João Pessoa) e Av.  Venâncio Aires, bairro Cidade Baixa.   (20) Nota:  Pode ser que   o cinema   América (citado acima)  tenha mudado depois seu nome  para  Avenida (?), mas não se sabe quando isso ocorrreu.

Notas:   1)   A foto abaixo do cinema Avenida  foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa) . 2)  Segundo (24),    durante uma ventania ocorrida  durante a exibição do filme do cinema mudo (ou silencioso)  O Barqueiro do Volga,   a sala ficou bastante  danificada, resultando o incidente  em  um morto e 5  feridos. 3)   Esse filme (O  Barqueiro do Volga) é uma produção  do cinema norte-americano de 1926.    4)  Talvez a  foto abaixo  retrate o prédio do cinema depois da ventania, pois nota-se que há  peças de madeira sustentando as paredes.  5)  Ressalte-se  que  o novo prédio do Cine Avenida  foi inaugurado em 06/Jun/1929.  Ver  essa data.    6)  Segundo (1) a Av. Redenção teve seu nome alterado para  Av. João Pessoa em  04/Out/1930.

 

 

Antigo  Cine Avenida 

 

 

Passa a funcionar  o cinema Mont Serrat,    endereço   ? , bairro Floresta.   (20)

Passa  a   funcionar  o cinema Navegantes,    na  esquina das  atuais   ruas  Cairu  e  Rio Grande, bairro Navegantes.  (20)  .  Nota:  Segundo (25),  esse cinema ficava localizado no mesmo ponto  onde funcionava o cinema Cosmopolita. Ver 19/Nov/1912.

Notas:  1)   A foto abaixo (superior) foi publicada  no exemplar no. 09 (15/Dez/1927) da revista "A Tela", existente no  Museu de Comunicação Social (Hipólito José da  Costa).  2)  As outras fotos  foram tomadas  pelo Autor  em Mar/2007.  3)  Ao que parece havia um relógio de sol  nessa fachada. Ver um   circulo de marcação de horas com uma haste no centro, mostrado no detalhe  da foto da direita  (mais  embaixo).  4)  Segundo (31),  Navegantes   foi inaugurado em 1922.

 

Detalhe da fachada (canto esquerdo)

Cine Navegantes (já  desativado)  

Outro detalhe da fachada  (frontal superior)

 

   1923

Entra em operação  o cinema  Carlos Gomes,  na  rua  Vig. José Inácio, no. 355 (ou 335), antiga rua do Rosário. (20)  .   

Notas: 1)   Conforme  (25)   esse cinema entrou em operação em Abr/1923 e o endereço  da  época  era  rua  Vig. José Inacio, no. 47, proximidades  da  R. 24 de Maio (atual R.  Otávio Rocha). 2) Conforme  (1)  a antiga  rua do Rosário  passou a ser denominada  oficialmente  de rua  Vigário  José Inácio em  09/jul/1877  e a  R. 24 de  Maio passou  ser  denominada  R. Otávio Rocha em  27/fev/1932.   3)   As  fotos abaixo foram feitas  pelo Autor em 27/Mar/2007,  meses antes da fachada do cinema  sofrer uma  restauração completa.

                                   

                                     Fachada do Cine Carlos  Gomes

                                                                                Vista central  da fachada

 

                Detalhe   da imagem de Carlos Gomes           Outro detalhe da fachada      

 

  03/Out/1923

Inauguração do cinema Orpheu, na rua Benjamin Constant, no. 1891,  quase esquina com a rua Cristóvão Colombo. ( 20).  Era de  de propriedade da empresa Mendelski & Irmãos. 

Notas: 1)   Em 1963,  depois de ser remodelada,  passou a funcionar com o nome de Astor.  Esta  sala fechou em 1994 .  2)  Segundo  (24): a)  Quando começou a operar em  1923,  o cinema possuía  1395 assentos e quando do fechamento (1994), 707 lugares. b)   Ao ser reformado em 1963, passou a contar com som estereofônico, novo projetor e tela  para filmes de 70 mm  e   poltronas do tipo Pullman (reclináveis).  3) A foto abaixo  da esq.  foi  obtida do jornal  Zero Hora, de  14/Fev/2012 (Almanaque Gaúcho)  e foi   tirada em 1954;  essa foto    mostra a confluência das  avenidas  Cristovao Colombo, Benjamin Constant, Cel Bordini, etc.. O prédio de fachada clara  mais à esq.  é o do cinema Orpheu.  Ver detalhe na foto da  dir.  4)  A foto  mais  abaixo, bem  mais  recente (ano ?),   mostra apenas  a fachada do prédio e   foi   tomada  pelo  Autor; o restante do prédio já havia sido demolido na ocasião. 

 

Vista  aérea  da confluência das  avenidas   Cristovao  Colombo, Benjamin Constant, Cel. Bordini, etc. no bairro Floresta.

No  detalhe da foto ao lado, vê-se a fachada clara do cinema Orpheu.

 

Fachada do cinema Orpheu (Astor)

1924

Produzidos o curta metragem "A Real Nave Itália" (diretor Benjamin Camozato) . 

Produzido  também o   "Centenário da Colonização Alemã" (diretor Carlos Comelli), um documentario, pela Comelli Film. (41)

É ainda produzido o filme "Desembarque das Tropas Baianas" (diretor Carlos Comelli), um documentario, pela Patria Film. Seu lançamento ocorreu no cinema Central em 03/Dez. (41)

  08/Jun/1924

Inauguração do cinema Moderno, na rua das Flores, no. ?,  atual rua  Siqueira Campos, no  Centro.  (20). 

Nota:   Segundo (1),   a  rua das Flores passou a se chamar oficialmente de  rua Siqueira Campos  em  04/Jul/1931.    

  05/Ago/1924

Inauguração do cinema Pavilhão Elegante, em endereço desconhecido.  (20)

1925

Inauguração do cinema Gioconda, na rua Wenceslau Escobar, no. ? , no bairro Tristeza.  (20).   

Notas:  1)   Segundo R.   Ratzenberger, o Cine Gioconda pertencia  a seu pai -  Rudy Ratzenberger-  e  a sala de  cinema ficava na  R.  Wenceslau Escobar.   2)   Com base nessa informação, o Autor   localizou   em 2008  o prédio do antigo cinema. Ficava  na Wenceslau Escobar, atual no.  2826,  proximidades  da  R. Armando Barbedo.  Na ocasião  o prédio do cinema  estava ocupado  por  uma das filiais das Lojas Herval.  Nas imediações,   inclusive  há   um   logradouro  chamado "Beco do Cinema Gioconda".  3)    Segundo (31)    o nome inicial dessa sala de cinema era Tristeza.  O cinema  Gioconda  encerrou suas atividades em  1972.

 

 22/Mar/1925

O jornal Diário de Notícias  relaciona em sua programação de filmes as   seguintes salas de cinema em funcionamento:  Central,  Carlos Gomes,  Apollo, Coliseu,  Orion, Thalia,  Rio Branco e Navegantes. 

Notas:  1) Na edição de  09/Abr/1925, o mesmo jornal  reporta ainda  os cinemas Guarany  e  Palácio. 2)  Conforme  mesmo jornal, em edição  de Jul/1928, o cinema   Orion  ficava  no  bairro  Bom  Fim.  3)  Segundo  (25)  o prédio  onde funcionava  esse cinema ficava  no mesmo local  onde depois foi construído o Cine Baltimore Ver 03/Set/1931.     4) A foto abaixo foi publicada  no exemplar no. 09 (15/Dez/1927) da revista "A Tela", existente no  Museu de Comunicação Social (Hipólito José da  Costa).  

 25/Mar/1925

O jornal Diário de Notícias  reporta  que o  Cine-Theatro Guarany (ver 29/Nov/1913)  está  reabrindo suas portas, depois de sofrer  uma  reforma em suas dependências. 

Notas:  1) No  anúncio da reabertura; verifica-se que  essa sala de cinema pertencia a  Manoel Rodrigues Filho e Cia.   2)   A foto inferior  que mostra o interior do cinema  foi publicada no exemplar no. 11 (15/Jan/1928) da revista "A Tela",  existente no  Museu de Comunicação Social (Hipólito José da  Costa).  

Anúncio da reabertura no jornal Diário de Notícias

 

 

 

 Vista do interior do cinema, foto publicada na revista "A Tela"

1926

Produzido o curta metragem (18 min)   "Em Defesa da Irmã" (diretor Eduardo Abelim), um drama,   pela produtora Gaúcha Film. Seu lançamento ocorreu nos cinemas Thalia  e Orpheu, em 11/Nov. (41)

Produzido o filme  "Jóia do Bem"  (diretor Eugenio Centenaro Kerrigan), um drama, pela Pindorama Film. Este filme ficou inacabado. (41)

Produzido o filme "Remissão"   (diretor José   Piccoral), um drama, pela Farrapos Film.   Nota:  Em 1952,  foi realizado um  outro filme também  chamado "Remissão". 

1927

É produzido o filme "Castigo do Orgulho" (diretores  Eduardo Abelim e Waldomiro Kerting) pela produtora Gaúcha Film.

Também produzido "Um Drama nos Pampas" (diretor Carlos Comelli),   um drama,  pela produtora Pampa Film. Este filme também é chamado de "Furacão" ou ainda "Vingança do Gaúcho" A estréia foi  no cinema Carlos Gomes em 25/Out/1927.  

É ainda produzido o filme  "Torres"   (diretor José Piccoral),   um documentário rodado em uma  vila de pescadores da praia  Torres.   Seu lançamento foi nos cinemas Carlos Gomes e Central em  08/Jul/1927.

 Jul/1927

Inicia-se em Porto Alegre  a publicação da revista " A Tela", periódico quinzenal, especializada em tratar de assuntos de cinema, embora abordasse outros temas de natureza social-cultural. Seu editor era  José de Francesco e a sede da  revista ficava na  R. Demétrio Ribeiro, no. 716. Alguns números dessa revista  podem ser  encontrados no  Museu de Comunicação Social  (Hipólito José da Costa). Nota:    Essa revista  foi publicada, pelo menos, até 1934.

   Jul/1928

O jornal  Correio do Povo  em sua  programação de filmes  informa  que as  seguintes  salas  de  cinema (um total de 14) estão em funcionamento:  

Centro:  Guarany , Central Carlos Gomes.  

Cidade Baixa:   Palácio,  GaribaldiAvenida 

Independência: Apollo 

Floresta:  Colombo ,   Orpheu Mont Serrat 

São João: Thalia 

Navegantes:  Navegantes 

Menino Deus:  Recreio

Bom Fim:  Orion  

1928

Entra em operação o  Cine  Rosário na Av. Benjamin Constant,  no. 305, bairro Floresta   (20) Nota:  Conforme (34)  essa sala de cinema foi inaugurada em  1930. Maiores detalhes  dessa sala de cinema  em 1960 ver ref. (34). 

Notas adicionais:  1)  Rosário fechou em 27/Abr/1980. (10).  2)  A foto   abaixo (da esq.)   foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa)   3)   A foto  da   dir.   é  de  1977 e   foi  publicada no  jornal Zero Hora de  21/Abr/1996.  4)  Pelos cartazes de anúncios de filmes, deduz-se  que essas  duas fotos foram tomadas no mesmo dia,  provavelmente  pela mesma pessoa.  

   

Começa a funcionar  o Cine-Theatro  Ypiranga, na rua Cristóvão Colombo, no. 772, também no bairro Floresta.  

Notas:    1)  A foto embaixo da esq.  publicada  no jornal Zero Hora de  21/Abr/1996; o  filme anunciado   é  Redimida (Letty Linton, título original), de  Clarence Brown,  uma produção de 1932.   2)   A foto abaixo  da  dir. foi  tomada  pelo Autor em 2005 quando  o cinema já estava desativado.

Fachada do cinema  Ypiranga. (publicada no  Jornal Zero Hora) 

Fachada do cinema Ypiranga (desativado)

 

 

 

Em Porto Alegre é produzido o filme "Amor Que Redime" (diretor Eugenio Centenaro Kerrigan), um drama,  pela produtora Ita Film. Sua estréia  foi   no cinema Central em 24/Mai. (41)

Também produzido o filme  "Traído pelo Vicio"  (diretor  Eduardo Abelim), um drama, pela Gaúcha Film.  Este filme ficou inacabado.   (41)

   12/Out/1928

Entra    em operação o cinema   Capitólio na esquina da Av. Borges de Medeiros e rua Demétrio Ribeiro, bairro  Cidade Baixa. (20)  

Notas 1)  No final dos anos 60 o prédio  passou por  uma  reforma e    funcionou   com o  nome  de   Premier.  No início nos anos 80, sofreu  outra  remodelação,  sendo colocada uma tolda de  lona em frente a  porta de entrada (talvez para simbolizar os anos 1930)  e  o cinema  voltou   a se chamar  Capitólio.   Com este  nome encerrou suas atividades em 30/Jun/1994   com  a presença de apenas 20 espectadores.  2)  Segundo (24)   o filme de estréia em 1928 foi  "Casanova, o Príncipe  dos Amantes"  e   o prédio que  tinha uma lotação de  1295 lugares   era  de propriedade do alfaiate José Luiz Failace.  3) Como curiosidade, neste ano em Pelotas, Francisco Santos também inaugura uma sala de cinema com o nome de  Capitólio.  4)    As  três   fotos abaixo foram obtidas da Revista do Globo, de 14/Dez/1930 (fotos cedidas por  Celso Schmitz). 5)  As duas fotos   mais  embaixo   foram  obtidas  de cópias   existentes  no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa).  As 2  fotos da direita  são iguais, somente de  tamanhos diferentes. 6)  Conforme  C. A. O. de Souza  (26), os "camarotes" nas laterais do andar superior eram  inicialmente guarnecidos por proteções metálicas  em  ricos trabalhos  em forma de arabescos; posteriormente  esses gradeados  foram  substituídos por  balcões de alvenaria e nos anos 1970, retirados.

 

 

  1929

É produzido o filme "Revelação"   (diretor Eugenio C. Kerrigan) pela produtora Uni Film. O lançamento ocorreu  nos cinemas Guarany e Central em 06/Mai.  (41)

Também é produzido  o drama   "Calúnias de um Judeu"  (diretor Eduardo Abelim),  pela Gaúcha Film. Este filme ficou inacabado.   (13) . Segundo (18), este filme se chamava a  " A Vingança do Judeu" e foram filmadas apenas duas partes.  Nota:  A ficha completa  deste filme pode ser vista em   www.cinemateca.gov.br 

   14/Fev/1929

Inauguração do cinema Rio Branco, na Av.  Protásio Alves, no. 210,   de propriedade de Petersen e Cia. Com 1200 lugares o 1o. filme apresentado foi o "Monstro do Circo". A  projeção  já   era  sonora e usava  sistema  conhecido como  Vitaphone.  Este cinema foi fechado em  01/Fev/1976, passando o filme O Vento e o Leão. (20).   Nota:   Maiores detalhes  dessa sala de cinema em 1960  ver ref. (34). 

Notas adicionais: 1)   A foto abaixo da esq.  foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa).  O filme em cartaz, "Azas do Destino" (sic)   não  foi  identificado. 2)  A outra  foto, cedida por Celso Schmitz,  mostra  a fachada do cinema  quando era apresentado o filme "Psicose", produção de 1960.  3)  A foto bem de baixo foi obtida do Almanaque Gaúcho do jornal Zero Hora de  09/Jan/2014. O filme anunciado "Ascensão e Queda de um Paquera" é do cinema nacional  de  1970.

 

 

  06/Jun/1929

Inauguração do prédio  onde passou a funcionar o Cine Avenida, na  Av. Redenção (atual Av.  João Pessoa), no. 1105,   esq. com a  então R.  Venâncio Aires.

Notas:  1)  Nesta esquina  desde 1923 já funcionava um  cinema chamado Avenida,  mas era  em um outro prédio  (20)2) Em 1987,  essa  sala de cinema  foi desdobrada  em duas salas  (Avenida 1  e  Avenida 2).  O Avenida 2  possuía porta  de  entrada pela Av. Venâncio Aires. 3)  As duas  salas   deixaram de  funcionar   em 10/Abr/1996.   (10).   4) A foto abaixo   foi  tomada  pelo Autor em  Jul/1997;  a  fachada ensolarada  é   frontal para  a  Av. João Pessoa e a da sombra é para a   Av.  Venâncio Aires.  5)  Segundo (24), seu  proprietário  era Atilio Tedesco e o cinema  possuía   1500 lugares no pavimento térreo e  520 no balcão (mezanino).  6)  Conforme mesma fonte, por ocasião do fechamento, o Avenida 1  tinha  400 lugares e o Avenida 2, 300 lugares.

Prédio  do  Cine Avenida (desativado)   

  10/Ago/1929

Inauguração do cinema Variedades, na  rua  Andrade Neves, no. 40, no Centro.   (20)

  Out/1929

É apresentado  no cinema Apollo,  na Av. independência, no. 18,  o primeiro filme sonoro em Porto Alegre. O nome do  filme  era  Broadway Melody.  (26).  

  Out/1929

O cinema Colombo,  fundado em 1914 e  localizado na  R. Cristovão Colombo, no. 1370,   é   remodelado, sendo  construído um prédio de alvenaria por fora da  edificação  de madeira.  Ver 01/Out/1935.  

1930

É produzido o documentário  "A Avançada das Tropas Gaúchas" (diretor Eduardo Abelim),  pela  empresa Gaúcha Film. Nota:  Este filme também  é  chamado "Pelo Brasil Redimido". Nota:  A ficha completa  deste filme pode ser vista em   www.cinemateca.gov.br 

  18/Abr/1931

Inaugurado o cinema Imperial,  na rua dos Andradas, no. 1015,  no centro da cidade. (20)  

Notas: 1) A foto abaixo da esq.  mostra  o interior do cinema   durante um concerto do Clube Haydn (de Porto Alegre); a parte superior da foto mostra a orquestra no palco e a inferior a platéia, vendo-se o mezanino ao fundo. Essa foto foi publicada  na Revista do Globo de Ago/1931 e foi cedida  por Celso  Schmitz.  2) A  foto da dir. - que deve ser  dos anos 1950  -   mostra  o Cine Imperial ao lado do  Cine Guarany.   3)  Segundo  (25): a)   Esta foto é  de  do 2o. semestre de 1954 e na ocasião  o cinema Guarany  se chamava  Rio. b) O proprietário  desta  sala (Rio) era  Darcy  Bitencourt . c)  Ele também  possuía   outras salas de cinema (Roxy, Rival, Rosário e Ritz).  d) Como  curiosidade,  todas as suas salas  começavam com a  letra  R.  4)  A foto mais embaixo foi fornecida por Celso Schmitz  e mostra  a fachada do  cinema Imperial  por ocasião  da  apresentação do filme "Piranha", produção de  1978.

 

 

  24/Abr/1931

Passa  a operar o cinema   Sao Geraldo,  no bairro Navegantes-São João, na esquina das ruas  Sao Pedro e Av. Eduardo (atual Pres.  Roosevelt),   no mesmo ponto  onde  ficavam  os cinemas  Força e Luz, Democrata,  Helios e Vênus.  Ver  10/Nov/1912  e posteriores.  (25) . Nota:  A fonte (25)    cita  que o jornal  Correio do Povo, da mesma data (pag. 6),  faz referência  à inauguração  dessa nova sala de cinema.

  03/Set/1931

Inaugurado o cinema Baltimore, na Av. Bom Fim (atual Osvaldo Aranha), atuais  nos.  1048-1058, bairro Bom Fim (20).   

Notas:  1)  Segundo (24):  a)  Essa sala de cinema pertencia a  Emilio B. Adam.   b)  Em 1970 foi inaugurado  o cinema Mini Baltimore, no piso superior - sobre a sala de espera -  frontal  a Av. Osvaldo Aranha.  Essa sala passou a se chamar Bristol  em 01/Mai/1975c)    Posteriormente,  outras salas de cinema foram sendo  formadas, chegando a ter  4 salas no mesmo  endereço.   Em 2000, a ultima sala  de cinema deixou de operar no local. . d)   No inicio  de   2003, o  prédio  foi demolido,  deixando-se   intacta   apenas a fachada.  e) Por ocasião do fechamento,   as lotações das 4 salas de cinema eram:  Baltimore 1 (600 lugares); Baltimore 2 (264); Baltimore 3, ex-Bristol, (184)   e  Baltimore  4 (138).   2)   A foto abaixo (superior)  mostra a Av. Osvaldo Aranha; essa foto deve ser dos anos 1930 ou 40. 3)  A  foto  mais embaixo  da  esq., cedida por Celso Schmitz,     mostra a platéia do Baltimore e  foi publicada  na Revista do Globo em  Fev/1950.  4) A foto mais embaixo da dir. foi tomada  pelo Autor  em  Mai/2003  quando  ainda  restava apenas a  fachada do prédio; essa fachada acabou desabando no dia de  Natal  do mesmo ano, mas  sem causar danos pessoais.   5)  A foto bem de baixo foi publicada no jornal Zero  Hora (Almanaque Gaúcho, edição de 10/Jan/2013.

 

Interior do cinema Baltimore, publicada na Revista do Globo de Fev/1950

Fachada  do cinema  Baltimore, já desativado

 

Foto do cinema Baltimore, tirada por Edison Vara, em 20/Nov/1987, 

Foto publicada no Almanaque Gaúcho, do jornal Zero Hora, em  10/Jan/1913.  O filme Anjos da Noite, é uma produção do cinema brasileiro de 1987.

 

1932

É produzido o filme "O Pecado da Vaidade" (diretor Eduardo Abelim), um drama,  pela produtora Gaúcha Film. Seu lançamento ocorreu no cinema Apollo em 14/Dez. (13) .  Nota:  A ficha completa  deste filme pode ser vista em   www.cinemateca.gov.br 

  01/Out/1935

O prédio  do  cinema   Colombo é arrendado  para a firma Petersen e Cia. A sala possuia 1400 lugares.  A  1a. sessão  apresentou um  programa duplo com os filmes "Maridos Infieis" e "A Celebre Miss Lang"

Notas: 1)  Em 1938, a firma citada comprou  o prédio.   Este cinema foi  fechado em 01/Fev/1976, apresentando  o filme  O Vento e o Leão, filme de 1975.  (10)  .   2)  A foto do cinema  abaixo é de 1976  e    foi publicada no  jornal Zero Hora de  10/Jul/2002. 

 

Fachada do cinema  Colombo, apresentando o filme O Vento e o Leão, de 1975

 

 

   1935

Conforme livro citado na  referência (1) , neste ano  a cidade  contava   com as seguintes salas de cinemas (total de 22): 

Centro:  Imperial (1615 lugares), Guarany (958 lugares), Central (911 lugares),   Colyseu (1410 lugares).

Cidade Baixa:   Palácio (com 980 lugares),  Garibaldi (1054 lugares), Avenida (2000 lugares),  Capitólio (1295 lugares).

Independência: Apollo (2100 lugares)

Bom Fim: Baltimore  (1848 lugares)

Petrópolis: Rio Branco (1450 lugares)

Glória:  Glória (rua Oscar Pereira, no.   ?   com 300 lugares)

Floresta Ypiranga (1159 lugares), Colombo (1414 lugares), Orpheu (1395 lugares),  Rosário (1180 lugares)

Sao João: Thalia (1645 lugares)

Navegantes:  Navegantes (1089 lugares)

Menino Deus :   Recreio (135 lugares)

Tristeza:  Gioconda (600 lugares)

Outros Bairros:   Vila Nova (endereço ?,  com 150 lugares)

 

  05/Mar/1936

É inaugurado o cinema Rex na rua dos Andradas,  atual no.   1137,  quase esquina com a  R.  Gen. Câmara (ou rua da Ladeira).  Com 600 poltronas, essa sala   ficava no lugar do antigo teatro Petit Cassino. Atualmente no local  fica o   edificio Di  Primio Beck.  O  Cine  Rex   ficava defronte ao  Cine Central, junto ao  local  conhecido como Largo dos Medeiros.    Nota:  Conforme (34)  essa sala de cinema foi inaugurada em  1935. . Maiores detalhes  dessa sala de cinema em 1960  ver ref. (34). 
 
Notas adicionais:  1)  O filme de estréia foi  A Mascote do Regimento,  um filme de 1935, com Shirley Temple, a menina prodígio do cinema norte-americano.  (20).  2)  A foto abaixo (da esq.)   foi  cedida por  R. Marcos Bastos.  (32).  3)  O   filme  anunciado é  "A Pequena Rebelde" (The Littlest Rebel, título original),  de  David Butler que  também é uma produção de  1935.  4) A  outra vista da fachada do cinema  Rex (foto da dir.)  é dos anos 1950. O filme anunciado As Façanhas do Cabo Asch é uma produção do cinema alemão de 1954. 5)  Nota-se da foto que nesse prédio tambem  funcionava a sede do Esporte Clube Cruzeiro. Ver o escudo do clube pendurado na fachada, bem a esq..

 

Fachada do cinema  Rex, anunciando o filme  "A Pequena Rebelde"

 

Fachada do cinema  Rex, anunciando o filme  "As Façanhas do Cabo Asch"

Escudo do Esporte Clube Cruzeiro

  09/Mai/1938

É  inaugurado o cinema Roxy, na rua dos Andradas, prox.  da  esquina com a  rua Uruguai, no centro da cidade.  Nos anos 50, a  sala  foi  remodelada e passou a se chamar Ópera. (20) .  

Notas:  1)   A foto abaixo  foi  cedida por  R. Marcos  Bastos. Ver  (32).    2)  O  autor  "supõe"  que  essa  disposição interna (cunho  futurístico)  ocorreu depois que essa sala passou  a se chamar Ópera.

  25/Mai/1938

Correio do Povo anuncia filmes  das  seguintes salas de cinemas (total de  20):

Centro:  Imperial,  Guarany,  Central , Coliseu,  Roxy Rex   e   Carlos Gomes

Cidade Baixa:   Palácio,  Garibaldi, Avenida  e  Capitólio

Independência: Apollo 

Bom Fim: Baltimore

Petrópolis: Rio Branco 

FlorestaYpirangaColombo Orpheu e   Rosário

São João: Thalia

Navegantes:  Navegantes 

  27/Abr/1939

Inauguração do cinema Castello,  na av. Azenha, no. 666, no bairro Azenha. (20).

Notas: 1)  Funcionou por cerca de  40 anos,  fechando  em 1979. (10).  2)    A foto abaixo da esq.  foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa).  3)  A foto  da  dir. é de 1973  e  foi publicada  no   jornal Zero Hora de  21/Abr/1996. 3)  A foto mais embaixo, da esq.,  foi  extraída do Site  www.prati.com.br.   4) A foto  mais embaixo, da dir.,  mostra o interior do cinema, no dia  05/Jun/1960.  Foi tomada durante o  Programa Mauricio Sobrinho quando se apresentaram no palco os irmãos Celly e Tony Campello que eram entao grande sucesso entre os jovens com suas músicas de rock.   Essa foto foi publicada na pag. 54 do jornal  Zero Hora em 12/Jun/2012.

 

 

 

 

 

 

 

  01/Jan/1940

Inauguração do cinema Petrópolis,  na esquina das ruas Carazinho,  no. 222 esq. com R.  João Abbott, no bairro Petrópolis.  (20) .  Nota:  Maiores detalhes dessa sala de cinema em 1960 , ver ref.  (34)

  04/Set/1940

É inaugurado o cinema Vera Cruz, na esquina das ruas Andrade Neves e Borges de Medeiros, no centro de Porto Alegre,   em uma sessão especial para convidados. O filme apresentado foi  "A Mulher Faz o Homem", com James Stewart e Jean Arthur.  Em 1952  esta sala foi remodelada e passou a se chamar  Victória. Ver 12/Set/1953.   

Notas:  1)   A foto   abaixo  da   esq. mostra o Ed. Vera Cruz  e  foi  cedida  por  A. Paulo  Ribeiro.  2)  A  foto da dir. é um detalhe da  foto do edifício, mostrando a esquina do prédio onde ficava o  Cine Vera Cruz.   3)  O canteiro central   fica  na   Av. Salgado Filho.

Ed. Vera  Cruz  

 Detalhe  da foto ao lado, mostrando o Cine Vera Cruz

  Jan/1941

O  jornal Correio do Povo anuncia filmes  das seguintes salas de cinema ( total de 23):

CentroApollo, Central , Roxy,  Vera Cruz,  Rex,   Coliseu Imperial,  Guarany  Carlos Gomes

Cidade Baixa , Capitólio  e  Palácio 

Venâncio Aires: Garibaldi 

Azenha: :   Avenida  e   Castello 

Bom Fim:   Baltimore 

Floresta: YpirangaColombo,  Orpheu e   Rosário 

Petrópolis: Rio Branco Petrópolis 

Navegantes:  Navegantes 

São João: Thalia   

  1942

O cinema Guarany, localizado na R. dos Andradas, no. 1041,    passa a se chamar  Rio.   Notas:  1)  Essa sala de cinema  voltou a se chamar Guarany novamente por volta de 1955.  2)   Maiores detalhes dessa sala de cinema em 1960  ver ref.  (34). 

  19/Fev/1943

Inauguração do cinema  Brasil  na Av. Bento Gonçalves, no. 1960, esq.  com a R.  Cel. Vilagran Cabrita, no bairro  Partenon. (20) (31)

  31/Jul/1943

Inauguração do cinema Eldorado (ou El Dorado)  na Av. Benjamin Constant  esq.  com a   R. Ernesto da Fontoura,  bairro  Floresta. (20)

  09/Jul/1944

Inauguração do cinema Rival  na Av. 24 de Outubro, no 1600, bairro Auxiliadora.. (20).   Nota:  Conforme (34)  essa sala de cinema foi inaugurada em 1945. Maiores detalhes da sala de cinema em 1960 ver ref. (34).  

   19/Out/1946

O  jornal  Correio do Povo anuncia  filmes   das   seguintes salas de cinema (total de  26):

CentroApollo,  Central, Roxy Vera CruzRex ,  Coliseu ,    Imperial ,  Rio (ex-Guarany)  e Carlos Gomes.

Cidade Baixa:   Avenida, Garibaldi  e  Capitólio

Bom Fim:   Baltimore 

Azenha: Castello

GlóriaGlória 

Floresta: Ypiranga, Colombo,  Orpheu ,  Rosário  e   Eldorado   

Auxiliadora:   Rival 

Petrópolis: Rio BrancoPetrópolis 

Navegantes:  Navegantes

Partenon:  Brasil 

São João: Thalia

 

  1947

Entra em operação  o cinema  Baluarte, na Av.  Assis Brasil, no bairro Passo da Mangueira.  Em 1948  ele mudou o nome para Cristo Redentor. (20).  

Nota:  Segundo (23),  essa sala de  cinema funcionava nas dependências  da   Sociedade  Baluarte  cuja sede ficava  localizada  na Av.  Assis Brasil.  Nos anos 50, o prédio dessa sociedade foi demolido  e em seu lugar foi erigida a atual   igreja  do  Cristo  Redentor.

  19/Mar/1947

Inauguração do cinema Marabá, na rua Cel. Genuíno, 206, bairro Cidade Baixa,   com 1800 poltronas, de propriedade da firma Seidenberg & Cia. Ltda. Ficava no lugar do antigo cinema Palácio. Ver 11/Dez/1920.

  02/Jul/1947

Inauguração do cinema América, na Av. Assis Brasil, atual no.  363, no bairro Floresta.  (20)

   1948

Entra em operação o cinema Anchieta, em endereço desconhecido. (20)

Nota:  Conforme (25)  essa sala de cinema - que era um prédio de madeira - ficava na Av. Brasil, no. 493, quase esquina com a Av. Pres. Roosevelt.

  13/Abr/1948

Fundação do Clube de Cinema de Porto Alegre.  Seu primeiro presidente foi  Paulo Fernando Gastal (P. F. Gastal) e a 1a. Assembléia Geral foi realizada nesse  dia  no Auditório Caldas Junior, na r. Caldas Junior, no. 219.  Figuras ilustres da cultura  gaúcha assinaram a lista  de de presença dessa Assembléia, entre os quais  Dante Laitano, Mario Quintana, Gilda Marinho, Carlos Scliar, Guilhermino Cesar  e  muitos  outros. 

  06/Set/1948

Inauguração do cinema Ritz, na Av. Protásio Alves, no.  2557, no bairro Petrópolis  (20).  Nota:  Conforme (34)  essa sala de cinema foi inaugurada em 1958 (?).  Maiores detalhes dessa sala de cinema em 1960 ver ref. (34).  

Notas adicionais:  1)  Ritz   fechou  em 1994 e o prédio foi demolido em 20022)  A  foto da esq.   foi tomada  pelo Autor em Jul/1998 quando o cinema já estava desativado.  3)  A foto da dir.  foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social  (Hipólito José da Costa).   4) O filme anunciado, "O  Beijo no Asfalto", de Bruno Barreto , é uma produção do cinema  brasileiro de  1980. 

 

 

Fachada do cinema Ritz

  Fachada do cinema Ritz, anunciando o filme "O Beijo no Asfalto"

  1949

Produzido o filme "Caminhos do Sul", do diretor Fernando Barros, no Rio de Janeiro, com alguns trechos rodados em nosso estado.

  1951

Produzido o filme  "Remissão", do diretor Fernando Picoral, pela  Farrapos Filmes.   O filme foi  rodado em Porto Alegre  e Caxias do Sul (Vinicola Moselle). O ator principal (galã)  era  Enio  Radamés e atuaram no filme Laura Guimarães, Noêmia Selva, Mário Storni, Alex Portela   e outros.  O  filme  estreiou  no cinema  Carlos Gomes ainda em 1951. 

Notas:  1)   A notícia do do jornal (nome ???) é de 12/Out/1951.  2)  O galã do filme aparece de casaco claro   na  foto da esquerda  e como boxeador na  foto da direita.   3)    Essas  informações bem como as  ilustrações abaixo (cenas do filme)  foram fornecidas por Beatriz Manganelli.  4)  A ficha completa  deste filme pode ser vista em   www.cinemateca.gov.br 

 

  07/Dez/1951

Inauguração do cinema Continente, na rua João Pessoa,  no. ? , bairro Cidade Baixa.

Notas: 1)   F oi o  1o. cinema de verão (?)  de Porto Alegre.(20).  2)  Segundo (25)  esse cinema  ficava entre as ruas  da República  e  Luiz Afonso,  no local onde hoje tem um posto de gasolina e o Touring Clube. 3)  De acordo com  Saul G. Cardoso,  esse cinema tinha uma cobertura de lona tal qual um circo;  nele ocorreu  incêndio por volta de  1953-54 e no  seu lugar  depois  houve   um restaurante chamado de " Ao antigo Continente do Petry".  4) O Correio do Povo de  03/Jan/1954,  traz a   notícia  que  havia  ocorrido  um incêndio  no Teatro Babilônia, no local do antigo cinema Continente, na av. João Pessoa.  5)  Possivelmente esse fato tenha acontecido  dia 1o.

   1952

Inauguração do cinema Vila Jardim, em endereço desconhecido, no bairro Vila Jardim. (20). Nota:  No jornal  Diário de Noticias  de  Dez/52, aparece  um anúncio de filme desse cinema.

É produzido o filme "Remissão"    (Fernando F. Picoral) pela Farrapos  Filme. Este filme, o 2o. longa metragem sonoro (cerca de 110 minutos) feito no estado, conta somente com a participação de atores gaúchos. O filme ficou inacabado por falta de verbas. Ao que parece a parte filmada foi apresentada no cinema Carlos Gomes em 1953 . Depois o filme foi dado como perdido ou talvez tenha sido destruido. (9)

Produzidos os documentários "Negrinho do Pastoreio" e "24 horas da Vida de Uma Cidade", com duração de 10 minutos cada, ambos realizados em preto e branco pela equipe de Nilson Nascimento para a Guaíba Filmes Ltda. (9).

   04/Out/1952

Inauguração do cinema Miramar  na  R. Aparício Borges, no. 2730,    quase esq.  com  a Av.  Bento Gonçalves, no  bairro  Partenon. (20).   Segundo (31) , o cinema possuía assentos de madeira  para 1400 pessoas e seu proprietário era  Joaquim Alves da Silva, natural do Ceará.  O  filme de estréia  foi  “A Vingança de  Jesse James”. Era conhecido como o "Cinema dos Milicos", por  ser   muito  frequentado pelos militares nas matinês das 2as. feiras.  Sua última sessão  ocorreu em 14 de fevereiro de 1982.

   Dez/1952

O jornal Diário de Notícias anuncia filmes no    Teatro de Bolso,  localizado na  R. Sete de Setembro, no. 767 e no Café Concerto, na Praça da Alfândega.  Nota:  No Café Concerto, o anúncio indica que as sessões eram ao ar livre (?).   Neste  local também  havia  um palco onde também se apresentavam artistas (cantores, etc.)  "ao vivo".  

  1953

Geraldo Zaniratti  funda em Porto Alegre a Zaniratti Filmes. A sede ficava  localizada na parte superior da Confeitaria Paris, na R. dos Andradas, em frente  ao Grande Hotel (esq. dos Andradas com a Caldas Junior). Essa empresa  comprava filmes  de 16 mm  das distribuidoras  e  arrendava os filmes  para serem apresentados  em   pequenas  salas de cinema tais como sociedade recreativas, salões  paroquiais, etc. (23)

Inauguração do cinema Palermo,  na  R. Sete de Setembro,  no. 765,  no centro de P. Alegre.  Nota:  Maiores detalhes dessa sala de cinema em 1960 ver ref. (34)

   27/Fev/1953

Inauguração do cinema Oásis  na  esquina das ruas Nunes Machado  e   Barão do Triunfo, no  bairro  Menino Deus.

Notas: 1)   Ficava no mesmo local do cinema Recreio. Ver 1921.   Em 26/Nov/1960  mudou o  nome para Brasília. (20)  2) Segundo (25)   essa sala de cinema ficava na esquina das ruas 20 de Setembro e  Barão do Triunfo. 3)   A foto abaixo foi obtida do almanaque Gaúcho do jornal Zero Hora de  09/Jan/2014.

 

 

   27/Jul/1953

Inauguração do Cine-Teatro de Bolso (CTB)  na rua Sete de Setembro,  no.  ?,  no centro da cidade. (20)   

Nota:   Em  09/Nov/1953  essa  sala passou a se chamar Palermo  e em  25/Abr/1961 recebeu o nome de  Rivoli.  (20) .  Comentário  do Autor: Conforme referido em  Dez/1952,  nesse mês  já   eram  anunciados  filmes  no   Teatro  de  Bolso,  localizado  na  R. Sete de Setembro,  no.  767. 

  12/Set/1953

É inaugurado o cinema Victoria, no mesmo local  antes ocupado pelo cinema Vera Cruz (Av. Borges de Medeiros esq. Andrade Neves, no Centro).

Notas:  1)  Esta foi a 1a. sala de cinema a  ter  ar condicionado central, na época chamado de   "ar condicionado perfeito".  2) Conforme  (25),   foi a 1a. sala a ter 6 sessões de cinema diariamente (12, 14, 16, 18, 20 e 22 horas). 3)    O filme de estréia foi "A Dupla do Barulho" com Oscarito e Grande Otelo.   4)  Esta sala fechou suas portas  em Fev/1998.  5)  Na década de 1990, o Victória  foi dividido  em   2 salas de cinema de médio porte:  Vitória 1  e  Vitória 2.   6)    A  foto  abaixo,   cedida  por Celso Schmitz,  anuncia o filme  "Psicose",  uma produção de 1960. 7) A  outra foto, mais  embaixo,   foi  obtida do jornal  Zero Hora, de 04/Fev/2012 (Almanaque Gaúcho)   foi   tirada em 1976  por ocasião da apresentação do filme  "O Tubarão".

 

 

Fachada  do cinema Victoria, anunciando o   filme  "Psicose"

 

 

 

 

Foto  de 1976, mostrando  a fila formada para  assistir o filme "O Tubarão"

 

 

   26/Set/1953

Inauguração do cinema Marrocos  na  Av. Pres. Getúlio Vargas, no. 1174  (ou 1740),  no  bairro  Menino Deus.   

Notas:  1)   O  Marrocos fechou em 30/Jun/1994. (20).  2)    A foto abaixo, talvez dos anos 1960,  mostra a fachada do cinema  parcialmente coberta por um bonde (foto cedida por Ronaldo M. Bastos). 3)  As  outras duas fotos  mostram o interior  do cinema com seu teto  em forma de concha.  A  foto  da esq.  foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa) e  a  da dir.  foi tirada  do jornal Zero Hora de  12/Jul/2002.

 

 

   03/Dez/1953

Inauguração do cinema Teresópolis, na  av. Teresópolis, no. ?  ,   esq. com Praça Guia Lopes, no bairro Teresópolis.  (20). 

Notas: 1)   Segundo R.   Ratzenberger,  seu pai -  Rudy Ratzenberger -   era um dos proprietários dessa  sala.   2)   O  endereço correto é  Av. Teresópolis, atual no. 3235 onde  atualmente   funciona uma agência da Caixa Econômica Federal.  3)  A foto  abaixo   foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa).    

  1954

Entra em atividade  o Cine  Art, endereço   ?  ,  no bairro Belém Novo. (20)

  26/Jun/1954

Inauguração do cinema Rey, na  av. Assis Brasil, no. 1894,  nas proximidades do local  chamado "Volta do Guerino", bairro Passo D'Areia.  O cinema deixou de funcionar  em fins de  Ago/1980. (20) .   Notas:  1)  A foto  abaixo   foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa).  2)   O filme  do  cartaz,   "O  Flagrante",  de Reginaldo Farias, é  uma produção  do cinema brasileiro de  1975.  3)  Maiores detalhes dessa sala de cinema em 1960  ver ref. (34).

 

  1955

Produzido o filme "Agosto, Sexta-Feira, 13", de Camilo Tedaldi. (9)

Entra em operação  o cinema Estrela,   na  Estrada do Forte, no.  ? , no   então  bairro Passo da Mangueira (atualmente  Vila Ipiranga).   (20)

Começa a operar também   o cinema   OK  na  av. Assis Brasil, no. 3357 (ou 2511), no então  bairro Passo da Mangueira (atual Assis Brasil).

Notas:  1)   Essa sala de cinema ficava localizada em   frente   à  igreja do Cristo Redentor.  2)  Nos anos 1970 mudou de nome  para   Real.   3)   A foto  abaixo   foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa).  

 

  1956

Passa a funcionar a sala de cinema chamada Cine-Art, no bairro Belém Novo. (31)

  Jun/1956

O cinema Imperial  é a 1a. sala de cinema a apresentar filmes em Cinemascope. O filme apresentado foi  "O Manto Sagrado", produção de 1953. (25) .

Notas:  1)  A   produtora de filmes  20th. Century  Fox  era a detentora dos direitos de utilizar a  marca Cinemascope.  2)  O 1o. filme a ser concluído  no processo de Cinemascope  foi  "Como Agarrar um Milionário",   mas por razões de marketing  e por ser um filme épico, "O Manto Sagrado"  foi  lançado antes  nos cinemas.

  12/Out/1956

É inaugurado o cinema Continente, na Av. Borges de Medeiros, no. 475 , no bairro Centro. Nota:  Em 17/Jun/1970   fechou para reforma  e reabriu  no dia   22  com o nome de  Lido.  Nos  anos  90  foi desdobrado em 2 salas (Lido 1 e Lido 2) . (20)

   20/Out/1956

Inauguração do cinema Popular Cinemascote, em endereço desconhecido, depois passou a ser chamado só de  Cinemascote.  (20). 

Notas:  1)  Segundo o  jornal Diário de Noticias, edição de 01/Nov/1957, esse  cinema ficava localizado no bairro Cidade Baixa. 2)  De acordo com  Carlos Alberto O. de Souza: a)  Esta sala de cinema  ficava localizada no bairro Santana,  na R. Monsenhor Veras, lado par,  quase esquina  com  a R.  São  Manoel; entre essa rua e a Av. Ipiranga.  b)   Seu nome era  uma combinação de  Cinemascope com Mascote. b)  O prédio era  bem simples, tipo de um galpão ou hangar; possuía poltronas de madeira  com assentos giratórios  e mais ao fundo  cadeiras de madeira de palha trançada. c)  O cinema costumava apresentava seriados, filmes nacionais e épicos ítalo-americanos.  d)  Era conhecido pelo apelido  de "Pulguinha" pelos pessoal das redondezas.  2) Conforme (25)  esse cinema também era conhecido por Mascote.

   1957

Em Porto Alegre o cinema Victória inaugura o seu  sistema de ar condicionado. É  o  pioneiro no Rio Grande do Sul.   Ainda neste ano ele    passa a oferecer  5 sessões diárias, um feito inusitado para a época.

Nota:  A abaixo, cedida por Celso Schmitz,   pode ser considerada  como históricaEmbora   o  painel  esteja  anunciando  "La Violetera", produção de  1958, Celso  observa  que o motivo  de haver tantos religiosos  na frente do cinema, é  explicado porque  o  cinema estava  realizando uma  sessão diurna  do filme "Os Dez Mandamentos"  exclusivamente para o clero.   

 

Começa a funcionar o cinema Paquetá, em endereço desconhecido, na Vila São José. (20).  Nota:  Conforme (25)  esse cinema ficava localizada  na R. Borborema na esquina,  ou nas proximidades,  da R. João Botelho.

Passa a funcionar  o cinema Belgrano,  no  bairro Belém Novo. (31)

    06/Jun/1957

É inaugurado o cinema Tamoio, na Av. Cavalhada,  no bairro Cavalhada. (20).  

Notas:  1) Segundo R.   Ratzenberger, esta sala de  cinema pertencia  a seu pai -  Rudy Ratzenberger.     2)  Com base em  informação fornecida pelo citado, o autor localizou  o ponto  do antigo  cinema;  ficava   na Av. Cavalhada, atual no. 2129,  onde funciona  agora  a  "Churrascaria e Pizzaria  Kasarão I".    3)  Conforme jornal Folha da Tarde da época  o  filme de estréia  foi o nacional   "Sai de Baixo". O  cinema   pertencia  a  Empresa Hatzen Berg (sic)  e Cia. Ltda.  e  a   sala   possuía 600 assentos. 4)   Segundo o  mesmo jornal, um dos proprietários era   David  Yentchmin que também  era proprietário do cinema Palermo e coproprietário do cinema Eldorado (ou El Dorado).

   18/Jun/1957

Inauguração do cinema Medianeira, na   Av. Carlos Barbosa, em frente a R.  Cel. Neves.  no bairro  Medianeira. (20).  Nota:  Cine Medianeira   trocou de nome   para  Cine Alvorada em  26/Nov/1960. Ver essa data.  

  02/Set/1957 

É inaugurado o cinema Cacique, na rua dos Andradas, no. 933 (ou 923), no centro da cidade (20).   Na época era o cinema mais luxuoso de Porto Alegre, incluindo pinturas dos   índios guaranis  em suas paredes, obra do artista  Glauco Rodrigues.

Notas: 1)  O   filme de inauguração, em 1957foi  "O Rei Vagabundo"  com  Kathryn Grayson.  Possuía 1600  poltronas Pulman (reclináveis)  bem como   projetores  e tela  para  filmes de 70 mm; som estereofônico, etc. (24) .   2)    No final dos anos 1960,  no mezanino e confeitaria  desse cinema, passou a funcionar o cinema  Scala (R. dos Andradas, no. 921). (24)   3)  Os cinemas  Cacique e Scala  deixaram de funcionar  em 10/Jul/1994. (24)  .  4) Em Jun/1996,  um incêndio destruiu parcialmente as 2 salas de cinema, incluindo-se as pinturas dos índios guaranis. (24)  5)  As fotos abaixo foram obtidas  do jornal Zero Hora de  21/Abr/1996 (foto da esq.)  e de  12/Jul/2002  (foto da dir.). Ambas as  fotos foram  feitas  em  1989.  6)  A foto abaixo do centro  foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa) .  7)  A foto bem de baixo foi obtida do Almanaque Gaúcho do jornal Zero Hora de  09/Jan/2014.  No anúncio,  "As Escandalosas", filme do  cinema nacional de  1970 e  "Belle Starr Story" ("A Pistoleira de Virginia") é um fime italiano de 1968.

                                          

 

    16/Dez/1957

É inaugurado o cinema Pirajá, na Av. Bento Gonçalves, no. 1073   esq. com R. Teixeira de Freitas, no bairro Partenon. (20) (31)  . Notas:  1)  A foto abaixo   foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa) .   2)   Maiores detalhes dessa sala de cinema em 1960  ver ref. (34).

  1958

Entra em funcionamento o cinema Sarandi, em endereço desconhecido, no bairro  Sarandi.  Nota:  O jornal Correio do Povo, edição  de  27/Dez/1958,   já traz a   programação dessa sala de  cinema.  Nota:  Conforme (25)   esse cinema ficava localizada  na Av. Assis Brasil, no. 6664.

 

  04/Jan/1958

O  jornal  Correio do Povo traz  a programação  das   seguintes salas de cinema:

Centro: Ópera Victória,  Rex ,   Central,  Imperial , Guarany,   Carlos Gomes , Continente Cacique,   Palermo   e   Cinemascote

Cidade Baixa: Avenida,  Capitólio,  Garibaldi, Brasil   e Marabá 

Bom Fim: Baltimore 

Azenha: CastelloOásis 

Auxiliadora:  Rival

Floresta:  YpirangaColombo , Orpheu ,   Eldorado ,   Rosário  e   América 

São João:  Thalia

Petrópolis:  Rio Branco, Petrópolis  e   Ritz  

PartenonPirajá e  Miramar 

Menino Deus: Marrocos 

Glória:  Glória 

Teresópolis: Teresópolis  

Passo da Areia: Rey 

Passo da Mangueira (Assis Brasil): OK

Passo da Cavalhada: Tamoio

Vila Ipiranga:  Estrela

Tristeza:  Gioconda

Notas: 1)  Além desses, o  Correio do Povo   relacionava:  Rio Branco (Vila Rio Branco) e  São Luiz (Vila Niterói), ambos no município de Canoas.     2)  Anteriormente, em  02/Out/1957, além dos citados,   o mesmo jornal  relacionava  também: Belgrano (bairro   Belém Novo).  Relacionava também    Garibaldi (na Vila Niterói) e   Rex, ambos  no município de  Canoas.  . 3)  O  Correio do Povo coloca  o Cinemascote  como estando localizado no  Centro, porém ficava localizado em bairro.  Ver  20/out/1956.  4)  A foto abaixo  da esq. foi cedida por  Celso Schmitz,  mostra o cinema  Guarany  anunciando a exibição do  filme "Os Dez Mandamentos", produção de 1956. 5) A foto abaixo da dir. mostra a fachada do cinema na década de 1970; foto obtida do Site www.prati.com.br.

 

Fachada do cinema Guarany, anunciando o filme "Os Dez Mandamentos"

 Fachada do cinema Guarany, foto da década de 1970

 

   21/Mai/1958

O cinema   Mônaco  pela 1a. vez  aparece nas paginas  do  Correio do Povo  (CP)  dentro de sua    programação de  cinema. O filme anunciado é  "Corações em  Angústia"

Notas:  1)   Na edição do CP  de  25/Mai/1958, p. 67,  é indicado que essa sala de cinema ficava na Av. Osvaldo Aranha, no. 756. 2)  Na  edição do  CP   de  10/out/1960  é  noticiado   que  essa sala de cinema estava em reforma e que  iria reabrir  brevemente;  portanto, nessa época, o cinema   não estava funcionando.  3)  Conforme (25)  esta sala de cinema ficava na esquina da Av. Osvaldo Aranha com a R. Santo Antônio.

  15/Nov/1958

Correio do Povo , pg. 10,  noticia a inauguração do Cine Teatro  Presidente  para   o dia seguinte  (16/Nov)   com o filme "A Mais   Bela Mulher do Mundo",  com  Gina  Lollobrigida.  Notas:  1)   Essa sala de cinema  ficava  localizada  na Av. Benjamin Constant, no. 1773, no bairro  Floresta. (20).   2)  A  foto abaixo foi tomada  pelo Autor em  1998 quando o cinema já estava desativado. 3)  Maiores detalhes dessa sala de cinema em 1960  ver ref. (34).

 

Fachada do cinema  Presidente (desativado)  

  27/Nov/1958

Correio do Povo , p. 9,  noticia a inauguração do cinema Ipanema  para o dia seguinte (28/Nov)  com o filme musical   "Serenata no México",  da  distribuidora   Pelmex.  O jornal  informava  que  o cinema  ficava   na  Av. Flamengo, no.  381, bairro Ipanema. Essa sala  pertencia a  empresa Cinematográfica Ipanema Ltda.    Nota:  A foto abaixo  foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa) .

 

1959

Produzido o filme "Encontrado na Noite", de Silva Ferreira e Enrique Meyer.

Entra também em funcionamento o  cinema Nirvana, em endereço desconhecido, possivelmente   no bairro Navegantes. Em  03/Mai/1960,  mudou  de  nome para cinema  Ceará. (20) . Nota:  Conforme  (25)  esse cinema ficava localizado na Av. Ceará, no. 142, esq. com a R. 25  de Fevereiro.

  06/Fev/1959

Além da  relação de salas de cinema   indicada em  04/Jan/1958, o   Correio do Povo relacionava também: Ipanema (no bairro Ipanema) e  Sarandi (no bairro Sarandi). Além desses,  relacionava  Imperial (no município de  Esteio) e  Metrópole (município de  Gravataí), 

  01/Ago/1959

Inauguração do Cine  Vogue,  na Av. Independência, no. 640 ,  no  bairro Independência. O filme de estréia  foi  "O Velho e o Mar". 

Notas:  1)  Nos anos 70,  mudou de nome para Cinema 1 - Sala Vogue. (20) .  2)  A foto  abaixo da esq.    foi  publicada no jornal   Zero Hora de  21/Abr/1996.  Esta foto é de 1974  e   o   filme  "O  Gato",  de  Julien  Bouin,  é de 1971.  3)  A  foto da  dir.    foi  obtida de cópia existente no Museu de Comunicação Social (Hipólito José da Costa).   O filme  "Fanny e Alexandre", é de  1982.

 

  29/Jan/1960

Inauguração do cinema  Rex  na  rua Sete de Setembro,  no. ?  ,  no  bairro Centro. (20).   Notas:  1)    A foto abaixo da esq.  foi publicada no Almanaque Gaucho  do jornal Zero Hora, de 30/Jun/2014  e foi tomada  durante um festival do Cinema Nacional  que ocorreu em Porto Alegre entre 1o. e 3 de julho de 1960.  O filme anunciado "Matematica 0 Amor 10" é uma produção de 1958.  Na época da foto, nesse predio  funcionava o jornal Ultima Hora  que  foi  fechado pelo governo militar em 1964.  2) A foto da dir.  foi publicada no Almanaque Gaúcho, do jornal Zero Hora, de 04/Mai/2013. 3)   O jornal Zero Hora começou a ser vendido nas bancas em 04/Mai/1964; portanto a foto da dir.  é posterior a essa data. 4) O  filme anunciado,  "Cinzas e Diamantes",  é uma produção do cinema polonês de 1958.    Comentário do Autor:  Possivelmente  este cinema funcionava na R. Sete de Setembro, atual  no. 772, onde  fica  a  Garage Rex. 

 

  11/Set/1960

Inauguração do cinema Atlas  em um prédio localizado   na esquina  da  Av. Protásio Alves  e  R.  Alcides Cruz, bairro Petrópolis. (20).  

Notas:  1)  A  foto abaixo da esq.  mostra esse prédio; essa  foto   tomada  pelo Autor em Jul/1998.  2)  A foto da  dir. foi  cedida  por Celso Schmitz e mostra a escadaria que conduzia ao mezanino. Pelo que se deduz da foto, o cinema  já estava desativado nessa  época.

 

  24/Set/1960

Inauguração do cinema Roma  na Av. Princesa Izabel,  no. 15,  bairro Azenha.  (20)

Notas: 1)  Este cinema  ficava  em um prédio  defronte  a  Pça. Princesa Izabel,  localizada  entre a Av. Bento Gonçalves e a  R. Oscar Pereira. 2)  Em foto cedida por Celso Schmitz,  o painel  do cinema   anuncia  o filme  "Psicose", produção de 1960. 

  19/Out/1960

O cinema  Piratini   pela 1a. vez  aparece nas páginas  do  Correio do Povo  (CP)  dentro de sua    programação de  cinema. Na  programação   é    indicado  que ele se localizava  na rua Vicente da  Fontoura,  bairro  Santana, mas não é indicado o no. do prédio.  

  26/Nov/1960

Inauguração do cinema Alvorada  na Av. Carlos Barbosa,  em frente  a R. Cel. Neves,  bairro Medianeira. (20).   Nota: Esta  sala de   cinema  funcionou no mesmo local  do cinema  Medianeira (ver  18/Jun/1957).  

 


Fontes Principais:

Livros:

(1)   Porto Alegre - Guia Histórico, de Sérgio da Costa Franco (1988)

(12) História do Cinema Brasileiro, de Fernão Ramos (organizador) (Nota:  O livro  possui também   uma  Filmografia, de Ricardo Mendes)

(14) Porto Alegre - A Cidade e sua Formação, de Clovis Silveira de Oliveira (?)

(17) O  Cinematógrafo numa Ilha de Civilização,  de Claudio Todeschini (1995)

(18)  Cinematógrafo e o Cinema dos Pioneiros, de Antônio Jesus Pfeil  (1995)

(19)  Cinema em Porto Alegre (1896 - 1920), de  Fábio Augusto Steyer  (1998)

(20)  Salas de Cinema: Cenários Porto-Alegrenses, de Suzana Gastal (1999) (Nota:  O  livro  possui  um apêndice intitulado Dados  de  Salas de Cinema, de Nilo André Piana de Castro)

(21)  O Cinematographo no Rio Grande do Sul no Século XIX,  de  Antônio Jesus Pfeil  (1999)

(22)  Fortaleza - A Era do Cinema (Vol.  1 :  1891 - 1931),  de  Ary  Bezerra Leite (       )

(23)  Cinema em Porto Alegre (1896 - 1921), de  Fábio Augusto Steyer  (???)

(24)  The End -  Cinemas de Calçada em Porto Alegre (1990-2005),  de Cristiano Zanella (2006)

Arquivos  Pessoais

(25)   Celso Schmitz

Dissertações de Mestrado  e  Doutorado:

(26)  Cinema de rua em Porto Alegre, do Recreio Ideal (1908)  ao Açores (1974),  de  Olavo Amaro da Silveira Neto,  Faculdade de Arquitetura -  UFRGS, (Junho 2001) (Dissertação de Mestrado)

(27)  Entre Lanternas Mágicas e Cinematógrafos:  As origens do espetáculo cinematográfico em Porto Alegre. 1861-1908, de Alice Dubina Trusz, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - UFRGS   (Outubro 2008). (Dissertação de Doutorado)

(28)  A Indústria Criativa e a Evolução da Distribuição das Salas de  Exibição Cinematográfica nos Municípios do Rio Grande do Sul entre 2005 e 2012, de Leando Silveira Lopes,  Memória Social e  Bens Culturais -  UNILASSALE, (Outubro 2014) (Dissertação de Mestrado)   >     https://onedrive.live.com/redir?resid=C6FD174C908B1577%218300

Fontes  na   Internet:

(31)  Os Cinemas de Bairro na Memória da Cidade de Porto Alegre,  de  Anderson D´Onófrio França, monografia da FAPA, (2008).

(32)  Blog  de  Ronaldo  Marcos Bastos http://ronaldofotografia.blogspot.com/

(33)  Site   www.cinemateca.org.br   (filmografia de filmes brasileiros)

(34) Blog  Relação de Salas de Cinema de Rua do Brasil em Atividade nos Anos 60, de Cine Mafalda  > http//www.cinemafalda.blogspot.com.br

           Nota:  O  Autor entendeu deste Blog   que  os dados  relacionados para  cada Sala de Cinema (proprietário, lotação, tipo de projetor, etc.) eram referentes ao  ano  de 1960.

 

Agradecimentos:  O Autor  expressa seus agradecimentos pelas  colaborações recebidas  das  pessoas citadas no texto.   De modo especial, agradece  a  valiosa  contribuição   que vem recebendo de Celso Schmitz, de  Carlinda Mattos, do Setor de Cinema do Museu de Comunicação Social  (Hipólito José da Costa) que  disponibilizou fotografias e  materiais  (revistas, etc.) para consulta  e de Ronaldo M. Bastos e A. Paulo Ribeiro  pelas  fotografias cedidas para colocação na Página.    

 

 


  Voltar